domingo, 30 de outubro de 2011

NADA FALTARÁ

 


No Salmo 23, um dos mais bonitos da Bíblia, Davi faz uma declaração das mais positivas e orgulhosas acerca do Senhor como seu pastor -  
NADA ME FALTARÁ.

Ele não estava se referindo apenas no aspecto espiritual de sua vida. Como pastor de ovelhas, estava acostumado a cuidar delas de manhã à noite, levando-as para os pastos verdejantes, conduzindo-as às águas tranquilas, guiando-as no fim da tarde ao redil, vigiando durante a noite, protegendo-as dos animais selvagens, pensando em suas feridas, livrando-as dos espinhos, carrapatos e insetos e banhando-as para que sua lã estivesse sempre bonita.

Essa figura em relação a Deus é perfeita. Davi O via como seu pastor e tinha absoluta certeza de que, sob Seus cuidados, nada, absolutamente nada, lhe faltaria. Essa certeza é um dos ingredientes da fé e um sentimento de uma ovelha plenamente satisfeita com seu dono.

A expressão "nada me faltará" não é apenas uma promessa que se espera cumprir, mas expressa também a segurança que a ovelha tem no seu pastor em quaisquer situações em que venha a se encontrar. Uma ovelha que se desgarra, que cai num abismo, que é atacada ou roubada nem por isso deixa de ser ovelha. Nessa situação, quando pode sofrer algumas privações, é importante a confiança no Senhor como seu pastor.
Tal situação não ficará assim, meu pastor não me quer ver dessa maneira e certamente virá em meu socorro - é a maneira correta de pensar.

A Bíblia conta o caso de Jó. Um homem muito rico que temia ao Senhor, mas que de repente perdeu todos os seus bens, ficou doente e passou a servir de zombaria para os seus amigos. Nessa situação, demonstrou ser uma verdadeira ovelha:
"Porque eu sei que o meu redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra...vê-lo-ei por mim mesmo, os meus olhos o verão, e não outros"
Jó 19. 25-27


Phillip Keller, no livro "Nada me Faltará", ilustra isso da seguinte forma:

"Os homens estão sempre buscando segurança fora de si mesmos. São inquietos, inseguros, ambiciosos, ambiciosos de mais riquezas - querendo isto e aquilo, e contudo nunca estão realmente satisfeitos espiritualmente.
Em contraste, o cristão simples, a pessoa humilde, a ovelha do Pastor pode erguer-se orgulhosamente e gabar-se: "O Senhor é o meu pastor, nada me faltará".

Estou perfeitamente satisfeito com o controle que Ele exerce em minha vida.
Por que?
Porque Ele é o pastor para quem nenhum problema é grande demais no que diz respeito ao cuidado com seu rebanho. É um criador que sobressai por causa do seu amor pelas ovelhas - que as ama por elas mesmas, por seu deleite nelas. Se for preciso, trabalhará as vinte e quatro horas do dia para que recebam cuidados adequados em todas os detalhes. Acima de tudo, ele é muito cioso de seu nome e de sua reputação de "Bom Pastor".
É um criador que se deleita em seu rebanho. Para ele, não existe recompensa maior, nem satisfação mais profunda do que ver suas ovelhas contentes, bem alimentadas, seguras e desenvolvendo-se sob seus cuidados. Isto é realmente sua "vida". Dedica tudo o que tem a essa obra. Ele praticamente entrega-se em favor dos que são seus.

Não poupará esforços, dificuldades e labores no sentido de proporcionar-lhes a melhor relva, o mais rico pasto e amplas provisões para o inverno, bem como água pura. Não poupará esforços ou sofrimentos para providenciar-lhes abrigo nas tempestades, proteção contra animais impiedosos, doenças e parasitas, aos quais as ovelhas são tão susceptíveis.

Não admira que Jesus tenha dito: "Eu sou o bom pastor, o bom pastor dá a vida pelas ovelhas."
E também: "Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância."
Desde o primeiro clarão da aurora até a tarde da noite este pastor totalmente desprendido mantém-se atento ao bem-estar de seu rebanho. Pois o ovelheiro diligente levanta-se cedo e sai logo de manhãzinha para examinar seu rebanho. É o primeiro contato do dia. Com olhos de conhecedor, perspicazes e compassivos, ele examina as ovelhas para ver se estão bem, se estão satisfeitas, se estão podendo manter-se de pé. Em questão de instantes, ele sabe dizer se foram molestadas durante a noite, se alguma está doente ou se carecem de cuidados especiais.

Várias vezes durante o dia, ele corre os olhos pelo rebanho para certificar-se de que tudo está bem.
Nem mesmo à noite negligencia as carências delas. Dorme, como se diz, "com um olho fechado e outro aberto", pronto para saltar e proteger suas ovelhas ao menor sinal de perigo.
Esta é uma sublime ilustração do cuidado que Cristo dedica àqueles que se acham sob sua orientação. Ele sabe tudo a respeito de sua vida, de manhã até à noite.
"Bendito seja o Senhor que, dia a dia, leva o nosso fardo: Deus é a nossa salvação."
"Não dormitará aquele que te guarde."

A vida abundante que Deus, pelo Seu grande amor, nos garante através de Jesus Cristo inclui todas as bençãos e provisões de que necessitamos ou mesmo venhamos a desejar.
Para receber as bençãos e as provisões divinas, você deve estar convencido primeiramente de que Deus realmente quer abençoá-lo, e, em segundo lugar, deve aceitar que a assistência efetiva de Deus em sua vida que só pode acontecer se você estiver em comunhão com Jesus Cristo.
Ele é o caminho. Nele está a vida e ninguém vem ao Pai senão por Ele.
João 14. 6 

Com carinho para você,

SALMO 23

O  SENHOR É MEU PASTOR,
Isto é relacionamento!

 NADA ME FALTARÁ,
Isto é suprimento!

 CAMINHAR ME FAZ EM VERDES PASTOS,
Isto é descanso!

 GUIA-ME MANSAMENTE A ÁGUAS TRANQUILAS,
Isto é refrigério!

 REFRIGERA A MINHA ALMA,
Isto é cura!

 GUIA-ME PELAS VEREDAS DA JUSTIÇA,
Isto é direção!

 POR AMOR DO SEU NOME,
Isto é propósito!

 AINDA QUE EU ANDE PELO VALE DA SOMBRA DA MORTE,
Isto é provação!

 EU NÃO TEMEREI MAL ALGUM,
Isto é proteção!

 PORQUE TU ESTÁS COMIGO,
Isto é fidelidade!

 A TUA VARA E O TEU CAJADO ME CONSOLAM,
Isto é disciplina!

 PREPARAS UMA MESA PERANTE MIM NA PRESENÇA DOS MEUS INIMIGOS,
Isto é esperança!

 UNGE A MINHA CABEÇA COM ÓLEO,
Isto é consagração!

 E MEU CÁLICE TRANSBORDA,
Isto é abundância!

 CERTAMENTE QUE A BONDADE E A MISERICÓRDIA ME SEGUIRÃO TODOS OS DIAS DE MINHA VIDA,
Isto é benção!

 E EU HABITAREI NA CASA DO SENHOR,
Isto é segurança!

 POR LONGOS DIAS,
Isto é eternidade!

Que o Senhor te abençoe e te guarde!

x_3e1c66cc photo x_3e1c66cc_zps06a001ac.gif



segunda-feira, 24 de outubro de 2011

DEUS PESA A MÃO ?



Quantas vezes já ouvimos expressões como esta?

Cuidado, tudo o que está acontecendo com você, pode ser a mão de Deus pesando !


Para o povo religioso, de um modo geral, Deus é um rei vingativo que está à espreita de algum erro de seus súditos para castigá-los cruelmente. Tal pensamento certamente se baseia em algumas passagens do Antigo Testamento, onde Deus aparece para o povo de Israel como "O Senhor dos Exércitos, O Vingador de Israel, O Poderoso nas Batalhas" ou outros títulos que O colocam numa eterna posição de guerreiro armado e pronto para entrar em ação contra o inimigo. Aliás, mesmo no Antigo Testamento, as mãos de Deus pesavam contra o inimigo. Contra Seu povo,  só pesava quando de contínuo ele se rebelava e não cedia aos apelos de arrependimento.

" Também foi contra eles a mão do Senhor, para os destruirdo meio do arraial até os haver consumido."
Deuteronômio 2. 15

No Novo Testamento, encontramos também a mão de Deus pesando sobre Elimas, uma espécie de feiticeiro que procurava dissuadir o procônsul Sérgio Paulo de crer no que Paulo e Barnabé lhe pregavam:

"Pois agora eis aí está sobre ti a mão do Senhor, e ficarás cego, não vendo o sol por algum tempo. No mesmo instante caiu sobre ele névoa e escuridade e, andando à roda procurava quem o guiasse pela mão."
Atos 13 .11

As poucas passagens bíblicas onde Deus "pesa a mão", entretanto, não são suficientes para O caracterizarmos como um Deus vingativo, iracundo e pronto a castigar Seus filhos. Pelo contrário, a abundância das referências, principalmente no Novo Testamento, em relação à paternidade de Deus, ao Seu amor, à Sua graça, à Sua misericórdia e ao Seu perdão mostra com grande evidência a oposição a esse pensamento tão distorcido da realidade que Ele significa para nós.

Um dos grandes temas de ensino de Jesus é a paternidade de Deus. A parábola do filho pródigo é o centro desse ensino. Nessa parábola, o filho exige seus direitos, abandona a casa e o pai, lança-se no mundo dos vícios e da prostituição, gasta tudo o que recebeu e acaba na miséria, faminto e apascentando porcos.
Nessa situação, lembra-se que poderia ao menos ser um empregado do pai. Arrepende-se do que fez, volta e é recebido de braços abertos e com toda honra pelo pai que o reconduz à sua situação primitiva com uma grande festa.
O pai é Deus, o filho é o homem, que pelo pecado e pela má administração de sua vida se distanciou e vive dissolutamente. O estado de miséria no qual o filho caiu após se rebelar contra o pai não lhe foi imputado por este, que o entendeu como conseqüência de seu ato desastroso.

O homem paga por aquilo que faz. Semeia o que planta.
Não se deve culpar a Deus pelas conseqüências funestas de atos mal pensados ou de uma vida dissoluta e desgraçada. O peso não é da mão de Deus, como muitos interpretam, mas do próprio fardo construído pelas mãos iníquas.
Todos os homens estão sujeitos às conseqüências do pecado nesta vida. Morte, velhice e doenças são suas conseqüências mais diretas. Alguns admitem que Deus castiga seus filhos com enfermidades ou problemas, citando Hebreus 12. 6-8:
"O Senhor corrige o que ama". É certo que o Senhor corrige, mas a Bíblia não diz que é com doenças ou com desgraças.
Corrigir neste versículo significa: "Disciplinar, instruir, treinar, ensinar, educar", como o pai ensina seu filho e o professor seu aluno.

Isaías, o profeta messiânico, diz que "a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar" (59,1). Isaías não disse que a mão do Senhor não estava encolhida para que não pudese "pesar".

Lucas, em Atos 11. 21, afirma que "a mão do Senhor estava com eles, e muitos, crendo, se converteram ao Senhor". Estes, sim, mostram a verdadeira eficácia da "mão de Deus", em Sua preocupação em salvar e abençoar Seus filhos.
Interessante também é o fato de que muitos que cantam o hino "Segura na Mão de Deus" são os mesmos que afirmam que a mão de Deus pesa, castiga, etc. Como convergir estes dois extremos?

A "mão de Deus", na realidade, é o próprio Deus, e Ele, como Pai amoroso e compassivo, certamente não vive vigiando Seus filhos como se fosse um agente secreto pronto para apanhá-los em flagrante, com o propósito de puní-los por seus erros. Não devemos ver as mãos de Deus sobre nossos problemas, a não ser para resolvê-los ou nos dar as soluções.



x_3e1c66cc photo x_3e1c66cc_zps06a001ac.gif






segunda-feira, 17 de outubro de 2011

OBEDIÊNCIA - Estilo de vida - O caminho de volta

A Chave da Vitória!

A frase :
"Se Deus existisse não haveria doenças, miséria e tantos males" é inexata.
O correto seria:
"Se as leis de Deus fossem obedecidas, não haveria doenças, miséria a tantos males".

Tomo a liberdade de falar sobre "desobediência" em seu sentido mais bíblico - a não submissão. Deus quer que o homem se submeta às Suas leis, voluntária e espontaneamente.
Submeter-se às leis de Deus significa levá-las a sério e aplicá-las na vida. Creio que está claro que estamos nos referindo às leis morais, naturais e espirituais conforme são apresentadas quase sempre como conceitos de vida.

Lembre-se de que você foi criado pela sabedoria de Deus. Ele tem um plano para a sua vida. Como as estrelas têm suas órbitas e as estações o seu ritmo, sua vida tem também direções certas e serem seguidas.
Após a queda do homem no paraíso, o pecado dominou a humanidade. As pessoas se tornaram desobedientes a Deus e conseqüentemente, subservientes de um outro senhor - o diabo - que veio para roubar, matar e destruir...
(João 10 .10).

Todas as coisas boas, puras, bonitas e proveitosas para a vida são distorcidas por ele. A razão torna-se tortuosa., os objetivos desconcertados e as direções perdidas. Por isso, a Bíblia diz que o mundo jaz no maligno. Agora vivemos no caos.
Os sonhos são destruídos; felicidade e sucesso são coisas imprecisas, a fadiga tomou lugar dos prazeres, o ar está corrompido e a vida tornou-se um cálice amargo a ponto de ser considerada por muitos cristãos "um vale de lágrimas".
Nesse labirinto de desilusões humanas, o homem necessita de uma direção segura para a sua vida.
O plano de Deus é perfeito e bom. Seus objetivos são nobres e magníficos. Seus ideais são construtivos e realizáveis. Seus motivos são puros e cheios de amor. Por causa da natureza humana, uma força desconcertante tem empurrado o homem para um rio de turbulência e insegurança. Essa força tem tentado lançar o homem no precipício e deseja separá-lo eternamente de Deus.
"Todos nós andávamos desgarrados como ovelha. Cada um se desviava pelo caminho"
(Isaías 53.6).
Temos andado por caminhos tortuosos e de desobediência
"Há caminhos que aos homens parecem direitos, mas o fim deles é a morte"  
(Provérbios 14. 12).
Por isso, nossos objetivos são precários e nossos motivos são corrompidos.
"Cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte"
(Tiago 1. 14-15).



O ESTILO DE VIDA

Cada pessoa tem um estilo de vida, ou seja, uma maneira própria de viver. Para muitas, o pecado já faz parte do seu modo de viver de tal maneira, que têm dificuldades para identificá-lo. Deus deve ter lugar no viver de cada pessoa. Ele criou o homem com esse lugar preparado. Os poetas chamam-no de "coração", os teólogos de "alma", os místicos de "consciência". Não importa que nome damos, mas o fato importante é que Deus quer dirigir conosco o curso de nossas vidas.

O homem constantemente se perde no caminho, desvia-se da rota e perde o rumo. Seus lindos sonhos, mais cedo ou mais tarde, tornam-se imagens desbotadas de vagas ilusões. Normalmente, em seu estilo de vida o homem não encontra um lugar para Deus, por isso sofre as conseqüências de Sua ausência.

Lembre-se de que você precisa da direção de Deus. Viver fora dela é viver na desobediência. Sua divina orientação lhe dará razões de sobra para viver e gostar da vida. O salmista Davi diz: "O Senhor é meu pastor". Isto é o que Deus deseja. Ser o seu pastor; dirigir os mínimos detalhes de sua vida para que você possa viver na plenitude de Sua graça, recebendo todas as bençãos que Ele tem preparado para você.

Jesus disse:  "Eu sou o bom pastor, e conheço as minhas ovelhas" (João 10. 14). Acrescentou: "Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas" (João 10. 11). Ele veio ser o seu pastor, e por isso deu a Sua vida por você. Em Sua morte, aboliu para sempre o pecado que separava você de Deus. Através dEle, você agora tem possibilidades de ser obediente a Deus. Jesus veio mostrar o caminho de volta e revelar o Seu amor.



O  CAMINHO DE VOLTA

As razões que fizeram o homem perder o caminho residem especificamente no pecado que é inerente à natureza humana. Rebelião contra Deus e aliança com Satanás, o tentador, colocam-no sob a jurisdição e domínio dos demônios e por isso mesmo todas as coisas são ilusórias e causam decepção. Deus criou o homem para Seu divino propósito e deseja que este tenha uma vida separada para Ele. Essa comunhão já existiu e foi quebrada, por isso sofremos hoje as conseqüências.
O amor de Deus é tão grande, que Ele um dia, cheio de compaixão, enviou Seu Filho para morrer em nosso lugar.
Observe o que a Bíblia diz:
"Suas iniquidades faziam separação entre você e Deus"
(Isaías 59. 2).
Mas Jesus "derrubou a parede que estava no meio, a inimzade" (Efésios 2. 14).
O sangue de Jesus Cristo foi derramado para pagar sua culpas e agora o pecado não tem mais domínio sobre você.

Não há mais nada separando você de Deus, Jesus pagou tudo!

O bom pastor deu Sua vida pela ovelha. Agora você é Sua ovelha.
Ele disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim"
(João14. 6).
Ele é o caminho. O caminho de volta para Deus e caminho que conduz à verdadeira vida. Se o homem não tivesse desobedecido, não teria se desviado do caminho. Se as leis de Deus fossem obedecidas, teríamos uma humanidade feliz e abençoada.
Jesus veio nos trazer de volta todas as oportunidades.
Não há engano nEle.
Jesus veio mostrou o caminho de volta e revelou o Seu amor.

x_3e1c66cc photo x_3e1c66cc_zps06a001ac.gif



sábado, 8 de outubro de 2011

QUEM É O HOMEM PERFEITO ?


JESUS, COROA DA CRIAÇÃO


"Também disse Deus: Façamos à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.
Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; o homem e mulher os criou.
E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei  a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra..."
Gênesis 1.  26 - 30


O homem deve conhecer a si mesmo para viver vitoriosamente. Não me refiro ao "conhecer a si mesmo" da filosofia grega, que é uma atitude meramente contemplativa do interior e de reflexões místicas que não levam a nada de concreto, de prático, de existencial. Refiro-me ao conhecimento que deve buscar suas origens, das razões pelas quais existe e daquilo que deve buscar nesta vida. O conhecimento científico e místico de si mesmo pode ter seu valor, mas tende a nos afastar da realidade mais próxima que vivenciamos no dia a dia. Ele é um estudo adiantado, que só se deve buscar quando passa pelo estudo primário e elementar. Muitas pessoas se perdem em especulações filosóficas, científicas ou teológicas acerca do que significa o homem e, por isso mesmo, deixam de sorver o que está explícito na simplicidade. É como se ficassem estudando a matéria orgânica do palito do sorvete, enquanto este se derrete.

A verdade está sempre a descoberto, na simplicidade das coisas. Os homens tendem a dificultar tudo. O caçador que se embrenha na floresta, ao sentir sede, procura beber água em poços onde percebe estar a vegetação pisada. Isso indica que aquela água já tem servido a outras pessoas ou animais e que, em consequência, é boa para beber. Devemos nesta vida aprender esta lição. A fonte é boa quando muitos saciam sua sede, e é melhor que bebamos dela do que nos arriscar-mos em fontes desconhecidas. Isto não quer dizer que não venhamos a procurar outras fontes ou a furar outros poços, mas que, com nosso instinto natural, busquemos primeiramente as coisas mais simples e mais fáceis se serem alcançadas.


A Bíblia apresenta o homem como a coroa da criação e cooperador de Deus. Ao criar todas as coisas, Deus determinou que o homem tivesse domínio sobre elas. Cabia ao homem não somente preservar o que tinha criado, mas também desenvolver e multiplicar o obra de Deus de acordo com os recursos que o próprio Deus lhe concedia ( Genesis 2. 1-17 ). O paraíso onde o homem foi colocado significava a condição sob a qual deveria viver. Ali, gozaria de fartura, saúde, paz, alegria, prosperidade e felicidade. Deus fez o homem para viver em abundância de bens e de graça. Ele foi constituído mordomo de Deus junto à criação, e todas as coisas estavam colocadas sob sua autoridade, as quais poderiam ser usadas em seu benefício.

No paraíso tudo era perfeito e belo. As árvores, os rios, as flores e os animais ornamentavam e davam graça ao quadro do qual o homem era o centro. Deus queria que fosse assim. O homem, Sua criatura, feita à Sua imagem e semelhança, deveria ter um "habitat" digno de seu Criador. Isto não seria passageiro. Não havia determinação para que fosse apenas uma experiência da vida humana. Representava o eterno desejo de Deus e a perfeita condição de vida sob a qual o ser humano deveria viver.

Infelizmente, o homem não soube perpetuar aquela condição - Traído pela serpente astuta, símbolo da ambição, do poder e do domínio - uma encarnação do diabo - este cedeu, pecou e por causa do pecado, cauterizado principalmente pela desobediência, não tem cumprido devidamente essa comissão recebida de Deus.

A expulsão do paraíso não significa que Deus tenha mudado de opinião em relação ao homem. Não significa a Sua rejeição, mas um castigo pelo ato de desobediência. Deus continua dando oportunidades. Ele não desistiu de dar ao homem aquilo que lhe preparou. A Bíblia O apresenta como um pai que está sempre dando oportunidades a seu filho rebelde de retornar à casa paterna. Deus deseja restituir ao homem tudo o que ele perdeu, como muito bem esclarece Jesus com a parábola do filho pródigo ( Lucas 15. 11-32 ). É a própria imagem de Deus que vai ser restaurada. O diabo não pode brincar com esta imagem. O homem é um pedaço de Deus. Assim como a obra de arte carrega um pedaço do coração do artista que a produziu, também é o homem, como obra de Deus, e mais um pouco, pois, enquanto o artista cria com madeira, tinta e coisas artificiais, Deus criou o homem e o fez viver com Seu sopro, Seu próprio hálito.

A restauração do homem, além de um ato do amor de Deus, também é uma necessidade Sua. Deus precisa restaurar o homem para restaurar Sua honra, quebrada com a queda. Como um artista que se completa e se identifica em sua obra, Deus também só Se completa e Se identifica em Sua criação, que tem o homem como maior representante. É por isso mesmo que a Bíblia, o livro de Deus, convoca continuamente o homem a louvar e engrandecer Seu Criador.
É a arte identificando o artista, revelando suas qualidades.

"Todo ser que respira louve ao Senhor. Aleluia"
Salmo 150. 6

x_3e1c66cc photo x_3e1c66cc_zps06a001ac.gif



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...