quarta-feira, 24 de abril de 2013

CONSERTANDO O HOMEM CONSERTAREMOS O MUNDO!




Um cientista vivia preocupado com os problemas do mundo e estava resolvido a encontrar meios de melhorá-los. 
Passava dias em seu laboratório em busca de respostas para suas dúvidas.
Certa dia, seu filho de sete anos invadiu o seu santuário 
decidido a ajudá-lo. 
O cientista, nervoso pela interrupção, tentou que o filho fosse brincar em outro lugar.
Vendo que seria impossível demovê-lo, o pai procurou algo que pudesse ser oferecido ao filho com o objetivo de distrair sua atenção.
De repente deparou-se com o mapa do mundo, o que procurava! 
Com o auxílio de uma tesoura, recortou o mapa em vários pedaços e, 
junto com um rolo de fita adesiva, 
entregou ao filho dizendo:
— Você gosta de quebra-cabeças? 
Então vou lhe dar o mundo para consertar. 
Aqui está o mundo todo quebrado. 
Veja se consegue consertá-lo bem direitinho!
 Faça tudo sozinho.
Calculou que a criança levaria dias para recompor o mapa. 
Algumas horas depois, ouviu a voz do filho que o chamava calmamente:
— Pai, pai, já fiz tudo. Consegui terminar tudinho!
A princípio o pai não deu crédito às palavras do filho. 
Seria impossível na sua idade ter conseguido recompor 
um mapa que jamais havia visto. 
Relutante, o cientista levantou os olhos de suas anotações, 
certo de que veria um resultado digno de uma criança.
Para sua surpresa, o mapa estava completo. 
Todos os pedaços haviam sido colocados nos devidos lugares. 
Como seria possível? 
Como o menino havia sido capaz?
Então ele perguntou:
— Você não sabia como era o mundo, meu filho, como conseguiu?
— Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel da revista para recortar, 
eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. 
Quando você me deu o mundo para consertar, 
eu tentei mas não consegui. 
Foi aí que me lembrei do homem, 
virei os recortes e comecei a consertar o homem que eu sabia como era.

Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que havia consertado o mundo.

Autor: Desconhecido


 JESUS CRISTO 
pode consertar o homem e fazer dele, 
uma nova criatura. 

x_3cebcff8


segunda-feira, 22 de abril de 2013

SUA MISERICÓRDIA DURA PARA SEMPRE!


Não se sinta mal por ser como Pedro ou algum dos outros apóstolos. 
Eles foram um desastre! 
Quando Jesus ressuscitou e apareceu para as mulheres, Ele as instruiu da seguinte forma: 
Não temais: ide dizer a meus irmãos que vão para a Galiléia e lá me verão.
(Mt 28.10). 
Este foi um ato de amor!
Jesus sabia que, quando aquelas mulheres falassem aos discípulos que Ele estava vivo, Pedro, provavelmente, desmoronaria. Então, após terem anunciado:
"Ele ressuscitou! Ele ressuscitou!",
as mulheres foram até Pedro e disseram: "Ele nos mandou falar com você especificamente". Com isso, Pedro soube que havia sido perdoado. Quando aquelas mulheres trouxeram a mensagem de misericórdia para Pedro, estavam fazendo a obra da Igreja.
Há algo grandioso ocorrendo agora mesmo, meu amigo (a). Esteja disposto a ouvir Deus e dizer: "Senhor, o que devo fazer para receber a vida eterna?" 
(A vida eterna não é necessariamente uma vida longa,
 mas uma vida de qualidade.) 
"O que devo fazer para estar a par do que Tu estás fazendo agora?
O que devo fazer?"

Se você for até Jesus e conversar com Ele, Jesus será honesto com você. No entanto, prepara-se para ouvir a verdade. Se eu procurasse um amigo e lhe perguntasse o que eu poderia fazer, a fim de melhorar o meu ministério ele poderia dizer-me o que eu desejava ouvir em vez de dizer o que realmente pensa. No entanto, Jesus sempre será totalmente honesto com você. Vá até Jesus e deixe-O curá-lo. Deixe-O ser o seu poder e a sua fonte. Se você "ouvir" algo e não tiver certeza se provém de Deus, poderá consultar as Escrituras,  se não estiver de acordo com a Palavra de Deus, descarte na hora!

Jesus respondeu àquele jovem rico: Falta-te uma coisa. Estas foram palavras profundas. Se alguma coisa "lhe falta", então, alguma coisa é mais importante do que Deus, 
e você não poderá dizer
 "nada mais me importa"

Quero dizer algo ao Senhor: 
"Molda-me e faz-me de acordo com a Tua vontade enquanto espero submisso e tranquilo". 
O maior milagre na nossa vida acontece quando nascemos de novo. Posteriormente, o maior milagre ocorre quando nos sujeitamos completamente à vontade de Deus.
Deus será fiel quando for você for fiel, 
servindo-O e adorando-O.

 Por favor, repita em alta voz: 
"Seja feita a Tua vontade, Senhor. Peço que faças a Tua vontade. 
Eu me afasto das coisas que me seguravam.
 Comprometo a minha vida a Ti agora. 
Tu és o oleiro, e eu sou o vaso.
 Entrego-Te tudo. 
Rendo-me e peço que me moldes para que eu seja o que Tu queres. 
Não quero que coisa alguma tenha mais importância para mim,
 apenas a obra da Igreja. 
Faço esta oração em Nome de Jesus".
Amém!

E A VERDADEIRA OBRA DA IGREJA É 
A RELIGIÃO PURA E SEM MÁCULA, PARA COM O NOSSO DEUS E PAI, É ESTA:
visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.
Tiago 1. 27

x_3cebcff8


sexta-feira, 19 de abril de 2013

QUANDO COMEÇAR !


Para algumas pessoas, pode parecer que comparar a própria via à 
vida de Jesus não é algo verossímil. 
Elas assumem o fato de que, para Jesus, é claro, nada mais importaria 
a não ser a vontade de Seu Pai. 
Lembre-se, porém, de que Ele é o exemplo do que significa importar-se 
apenas com a vontade do Pai. 
Enquanto estava na Terra, Ele operou com dons perfeitos e com a perfeita direção. 
Quando encontrava alguém com a perfeita direção. 
Quando encontrava alguém com necessidades, Ele conseguia 
"captar a mensagem" da pessoa. 
Jesus sabia exatamente o que havia de errado com ela e tinha as palavras certas para corrigi-las e colocá-la no caminho correto. 
Até mesmo o homem que não aceitou as instruções do Senhor para a sua vida foi embora triste, pois as palavras eram verdadeiras e lhe cortaram o coração. 
Ele não foi embora com arrogância ou pompa, nem chamando o Mestre de mentiroso ou ladrão:
 o homem partiu pesaroso, pois sabia que as palavras que Jesus lhe havia dito eram verdadeiras (Mc 10. 17-22).

Quando o Espírito de Deus manifestar-se em sua vida, sua resposta deverá ser. "Sim" ou "Não". É possível que Ele se manifeste por meu intermédio, por seu intermédio, ou de uma pessoa leiga ou de alguém que você ouve pelo rádio. Ele pode até mesmo falar-lhe, enquanto você estiver contemplando um pôr-do-sol. No entanto, quando Deus fala, e você tem consciência de que Suas palavras são verdadeiras, Ele está convocando-o ao serviço, à ocasião na qual nada mais importa. É isso que Ele está fazendo agora!

Você poderá dizer: "Não tenho experiência", mas Deus diz:
"Você fará um trabalho impossível antes mesmo de descobrir que se trata de algo impossível". Outros poderiam afirmar: 
"Comecei tarde demais; deveria ter começado há naos!"
Ânimo!
 Deus está formando um exército agora, e a idade não conta!
Ele está procurando pessoas fiéis que digam: 
"Nada mais importa: apenas Jesus Cristo".

Jesus chamou Seus discípulos, e Deus observou esse ingrediente neles. Eles tinham o desejo e a determinação. Ele sabia que, quando recebessem o Espírito Santo e o conhecimento, nada mais lhes importaria. Foi o que aconteceu.

Talvez, você não tenha passado por essa experiência reveladora em sua vida. Lembre-se de que uma coisa é ser cheio do Espírito e ter conhecimento da Palavra. No entanto, se você assumir uma postura comodista em relação a Deus e não tiver fome suficiente para alcançar tudo que Ele tem para a sua vida, provavelmente, você nunca ouvirá as palavras finais: 
Vinde após mim, e eu vos farei pesadores de homens
 (Mt 4. 19).

Trata-se de um privilégio; de um chamado de Deus. Você pode ter visto pessoas fervorosas no Espírito e ter pensado: "Se eu pudesse ser como elas..."
Você está certo de desejar ser como elas, pois é um privilégio ser realmente tocado pela mão de Deus. No entanto, Ele não pode tocá-lo pelo fato de você simplesmente desejar ser como uma outra pessoas, pois, quando enchê-lo de poder, será sem arrependimento. Ele não pode tomar de volta o poder que derramou sobre você, pois será destruído se não seguir a Deus, e Ele sabe!

Não há pessoa mais infeliz do que o pregador ou o cristão desviado que, uma vez, conheceu o poder de Deus e trilhou Seu caminho. Não estou dizendo que eles estão perdidos e nunca poderão arrepender-se e voltar para Deus, mas existe uma dureza dentro deles. 
Grande parte de sua atitude aparentemente antagônica é uma mera mágoa interior que surge por estarem desgostosos e decepcionados com eles mesmos. 
Sua patética falta de força e propósitos os atormenta, pois não são capazes de
 permanecer em pé e estão fartos disso. 
Eles têm olhado ao seu redor e visto outras pessoas tão ruins quanto eles e tentado justificar seu comportamento enquanto enlanguescem em autopiedade e atitudes cínicas.

É tão triste ver alguém, que já andou com Deus e teve a vida tocada pela mão divina, permitir que outras coisas lhe importem... O diabo entrar de mansinho com idéias, inveja, orgulho e egoísmo e, então, é capaz de consumir, pouco a pouco, seu compromisso, sua energia, 
seu ardor e sua disposição em dizer: 
"Deus nada mais importa. Só me importo Contigo e como o que Tu queres que eu faça". Entretanto, o futuro pode ser diferente para essa pessoa e para todos aqueles que têm sonhado em fazer proezas por Deus. É bem provável que Ele use muitos desses indivíduos de uma forma poderosa (até mesmo algumas que disseram que nunca fariam coisa alguma), e, em um determinado momento, elas terão a habilidade de enxergar adiante.

Se você é uma pessoa que têm um "sonho", mas sabe, no fundo do seu coração, que outras coisas lhe são muito importantes, é preciso que converse com Deus a esse respeito. É necessário implorar a Deus e pedir-Lhe ajuda a fim de fazer os devidos ajustes. Estamos falando sobre vida e morte, sucesso e fracasso, felicidade e infelicidade. As pessoas podem ganhar o mundo todo e perder a sua alma (que é sinônimo de mente, paz, tranquilidade e satisfação). 
Você pode ganhar o mundo todo e, aparentemente, chegar ao auge no que desejar, 
e tudo isso não terá a mínima importância, se você não tiver chegado ao auge 
com Deus e focado sua atenção na vontade e no propósito divinos para a sua vida.

Nada mais importava para aqueles discípulos quando começaram a seguir a Jesus. Entretanto, deixar a rede não significa necessariamente tornar-se um ministro, mas colocar Cristo em primeiro lugar, junto com o trabalho que Deus designou. Deus está à procura de leigos que coloquem Ele e o Seu propósito em primeiro lugar.
 Ele precisa de "Priscilas" e  "Áquilas" modernos. 
Que bençãos foram aquelas pessoas para o Apóstolo Paulo e o ministério que Deus lhe deu! 
Paulo escreveu aos cristãos leigos em Filipenses, quando agradeceu à 
Igreja por permanecer ao seu lado e permitir-lhe levar o Evangelho aos gentios. 
Foi um leigo que emprestou o jumento a Jesus para fazer 
Sua entrada triunfante em Jerusalém.
x_3cebcff8


sábado, 13 de abril de 2013

NADA MAIS IMPORTA!


Meu marido e eu temos visto que, por todo o mundo, os cristãos estão a procura de algo. 
 Eles podem ter problemas diferentes e estar envolvidos em situações distintas, 
mas todos desejam saber o que é a verdadeira espiritualidade
e contemplar o verdadeiro poder de Deus!
Hoje em dia, muito do que vemos na igreja tem-se tornado performances teatrais, 
e algumas pessoas nem percebem isso. 
Assim, muito do que vemos não é real, mas os cristãos estão tão desesperados
 para ver sentir Deus que desejam acreditar em tudo. 
Todavia, a boa notícia é que Deus está desenvolvendo um exército ceifeiro,
 e este exército marchará por todo o mundo, 
munido do genuíno poder de Deus.
Essa marcha não incluirá apenas missionários ou ministros,
 mas todo cristão que desejar juntar-se a ela
 - no supermercado, 
nos estádios,
 no jardim da escola, 
no emprego - 
enquanto caminha pela rua. 
Sua mente sempre estará ponderando tais questões: 
"O que Deus quer?
O que Deus está fazendo?
Quando Jesus vai voltar?
De quanto tempo dispomos? 
Será que essa pessoa que mora perto de casa terá a oportunidade
 de ouvir uma outra mensagem evangélica?
Será que as pessoas dentro daquele carro, que está descendo a rua, 
terão uma outra chance de serem salvas?" 

A compaixão surgirá nesse exército de cristão, e eles descobrirão que a verdadeira demonstração de poder normalmente consiste em alcançar os perdidos. 
Jesus tinha compaixão e possuía essa verdadeira demonstração de poder! 
Assim, devemos olhar para o ministério de Cristo.
 Devemos olhar para a Sua vida, pois Ele é o modelo ao qual devemos ser semelhantes. 
Somos chamados cristãos, pessoas iguais a Cristo! 
Os primeiros discípulos foram chamados de cristãos. 
Por que? 
Porque eram semelhantes a Cristo. De que forma eles se pareciam com Cristo? 
Eles se ocupavam com o negócio de Seu Pai e causavam impacto tanto
 sobre os ricos quanto sobre os pobres.
 A mensagem que levavam fazia com que os homens reavaliassem sua direção e seu propósito.
 Em primeiro lugar, 
os primeiros discípulos apresentavam para a estrutura religiosa vigente um Salvador ressurreto, mas logo buscavam, principalmente, as "samarias" da Terra. 
Assim como Jesus, eles eram compelidos a uma vila carente, e depois a outra, e a outra, até alcançarem os limites do mundo conhecido da época.
 Não há quem seja tão ruim que não possa receber a verdade e ser modificado. Não há necessidade que estejam além do poder miraculoso de Deus. Cristo Jesus continuou vivendo por intermédio dos discípulos e de Seus convertidos.

A única coisa que realmente simboliza o ministério de Cristo é o fato de que nada mais importava para Ele a não ser fazer a obra de Seu Pai. Somos tentados a pensar: 
"Ah, mas Ele era o Filho de Deus.
 Ele nasceu de uma virgem, e isso O diferencia de nós".
 É verdade. 
Nesse ponto, 
Ele foi diferente.
 Entretanto, o mesmo Espírito Santo que fez mais importante do que
 Maria veio sobre nós quando recebemos a Cristo. 
Nosso novo nascimento é tão miraculoso quanto foi o nascimento de Jesus.
Somos criados à imagem de Deus, o que faz com que Satanás nos odeie. 
Quando Deus enviou Seu único Filho ao mundo para morrer por nós, 
Seu propósito foi redimir-nos do maligno.
 Ele disse que, quando cremos, tornamo-nos Seus filhos, 
os quais podem crescer e ser guiados pelo Seu Espírito! 
Aleluia!
Você não precisa implorar por isso.
 Trata-se de um direito que você possui quando nasce espiritualmente!

Atualmente, os cristãos tentam agradar a seu Pai Celestial, 
frequentando inúmeros seminários e lendo uma grande quantidade de livros. 
Agradeça a Deus pelos bons livros. 
Leia vários deles. Continue buscando... 
Mas reconheça quem é o nosso Pai Celestial, e, 
se você quiser realmente agradar-Lhe, olhe para a vida de Jesus. 
Nada mais importava para Ele, 
mas apenas que o Pai queria que Ele fizesse.
Você deve perceber Jesus, embora Filho de Deus, também foi um homem. 
Se não fosse um homem, não teria sido legal o que fez na cruz. 
Ele tinha de ser homem a fim de morrer na cruz.
 Se não fosse um homem, 
Seu sangue não teria significado coisa alguma nas cortes celestiais. 
O sangue de uma divindade não teria valido.
 Tinha de ser um homem mesclado com Deus a fim de fazer o sacrifício perfeito.
 Jesus disse:
Pai, se é possível, passa de mim este cálice[tormento e dor].Se for possível! Todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres
(Lc 22. 42) 
Em outras palavras: 
"Nada mais importa para mim a não ser fazer o que Tu queres!"
Quando os primeiros discípulos entraram em cena e começaram a seguir Jesus foram cativados por Ele. 
Aqueles homens não compreendiam, mas havia uma "pressão" exercida pelo Espírito Santo que fazia com que deixassem suas redes.
 O Espírito Santo fez com que um deles abandonasse sua prática médica,
 e outro deixasse de cobrar impostos.
 Essa "pressão" fez com que eles realizassem tudo o que o Espírito de Deus lhes dizia. 
Jesus disse: 
"Segui-me". 
Se Ele tivesse dito "Permanecei aqui", 
eles teriam permanecido, mas foi a "pressão" que fez com que abandonassem tudo.
Naquela época, Deus estava à procura de homens e mulheres para
 os quais nada mais importasse a não ser o que Ele queria. 
Embora seus compromissos parecessem efêmeros às vezes, 
Deus via dentro deles essa disposição. 
Devemos perguntar a nós mesmos:
"Será que essa mesma disposição existe em mim?"
Quando os discípulos receberam o Espírito de Deus, 
eles compreenderam, pelo mesmo Espírito, qual era a função que deveriam desempenhar. 
Deus viu neles a mesma disposição para ser tudo o que Ele queria que fossem. 
Deus constatou neles a possibilidade de nada mais lhes ser importante. 
Nada mais importaria para aquelas criaturas que Ele  havia criado; 
para os homens aos quais foi designado, 
de geração em geração, nascer à Sua imagem,
 com livre-arbítrio e habilidade de serem feitos filhos de Deus.
 Ele viu dentro daquelas pessoas a habilidade para segui-Lo.
Se disponha a segui-Lo e fazer somente a Sua vontade!

x_3cebcff8


segunda-feira, 8 de abril de 2013

DEUS PESA A MÃO?



Quantas vezes já ouvimos expressões como esta?

Cuidado, tudo o que está acontecendo com você, pode ser a mão de Deus pesando !


Para o povo religioso, de um modo geral, Deus é um rei vingativo que está à espreita de algum erro de seus súditos para castigá-los cruelmente. Tal pensamento certamente se baseia em algumas passagens do Antigo Testamento, onde Deus aparece para o povo de Israel como "O Senhor dos Exércitos, O Vingador de Israel, O Poderoso nas Batalhas" ou outros títulos que O colocam numa eterna posição de guerreiro armado e pronto para entrar em ação contra o inimigo. Aliás, mesmo no Antigo Testamento, as mãos de Deus pesavam contra o inimigo. Contra Seu povo,  só pesava quando de contínuo ele se rebelava e não cedia aos apelos de arrependimento.

" Também foi contra eles a mão do Senhor, para os destruir do meio do arraial até os haver consumido."
Deuteronômio 2. 15

No Novo Testamento, encontramos também a mão de Deus pesando sobre Elimas, uma espécie de feiticeiro que procurava dissuadir o procônsul Sérgio Paulo de crer no que Paulo e Barnabé lhe pregavam:

"Pois agora eis aí está sobre ti a mão do Senhor, e ficarás cego, não vendo o sol por algum tempo. No mesmo instante caiu sobre ele névoa e escuridade e, andando à roda procurava quem o guiasse pela mão."
Atos 13 .11


As poucas passagens bíblicas onde Deus "pesa a mão", entretanto, não são suficientes para O caracterizarmos como um Deus vingativo, iracundo e pronto a castigar Seus filhos. Pelo contrário, a abundância das referências, principalmente no Novo Testamento, em relação à paternidade de Deus, ao Seu amor, à Sua graça, à Sua misericórdia e ao Seu perdão mostra com grande evidência a oposição a esse pensamento tão distorcido da realidade que Ele significa para nós.

Um dos grandes temas de ensino de Jesus é a paternidade de Deus. A parábola do filho pródigo é o centro desse ensino. Nessa parábola, o filho exige seus direitos, abandona a casa e o pai, lança-se no mundo dos vícios e da prostituição, gasta tudo o que recebeu e acaba na miséria, faminto e apascentando porcos.
Nessa situação, lembra-se que poderia ao menos ser um empregado do pai. Arrepende-se do que fez, volta e é recebido de braços abertos e com toda honra pelo pai que o reconduz à sua situação primitiva com uma grande festa.
O pai é Deus, o filho é o homem, que pelo pecado e pela má administração de sua vida se distanciou e vive dissolutamente. O estado de miséria no qual o filho caiu após se rebelar contra o pai não lhe foi imputado por este, que o entendeu como conseqüência de seu ato desastroso.

O homem paga por aquilo que faz. Semeia o que planta.
Não se deve culpar a Deus pelas conseqüências funestas de atos mal pensados ou de uma vida dissoluta e desgraçada. O peso não é da mão de Deus, como muitos interpretam, mas do próprio fardo construído pelas mãos iníquas.
Todos os homens estão sujeitos às conseqüências do pecado nesta vida. Morte, velhice e doenças são suas conseqüências mais diretas. Alguns admitem que Deus castiga seus filhos com enfermidades ou problemas, citando Hebreus 12. 6-8:
"O Senhor corrige o que ama". É certo que o Senhor corrige, mas a Bíblia não diz que é com doenças ou com desgraças.
Corrigir neste versículo significa: "Disciplinar, instruir, treinar, ensinar, educar", como o pai ensina seu filho e o professor seu aluno.

Isaías, o profeta messiânico, diz que "a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar" (59,1). Isaías não disse que a mão do Senhor não estava encolhida para que não pudesse "pesar".

Lucas, em Atos 11. 21, afirma que "a mão do Senhor estava com eles, e muitos, crendo, se converteram ao Senhor". Estes, sim, mostram a verdadeira eficácia da "mão de Deus", em Sua preocupação em salvar e abençoar Seus filhos.
Interessante também é o fato de que muitos que cantam o hino "Segura na Mão de Deus" são os mesmos que afirmam que a mão de Deus pesa, castiga, etc. Como convergir estes dois extremos?

A "mão de Deus", na realidade, é o próprio Deus, e Ele, como Pai amoroso e compassivo, certamente não vive vigiando Seus filhos como se fosse um agente secreto pronto para apanhá-los em flagrante, com o propósito de puni-los por seus erros. Não devemos ver as mãos de Deus sobre nossos problemas, a não ser para resolvê-los ou nos dar as soluções.

x_3cebcff8


sábado, 6 de abril de 2013

O PRESENTE TEM DE SER DADO EM SEGREDO



O presente dado em segredo abate a ira, e a dádiva às escondidas aplaca a indignação.
Provérbios 21. 14

No mundo espiritual, o mais importante, no que se refere a presentear, a maneira como fazemos. Isso porque o calor do presente não é decidido por nós, pois os presentes são bens espirituais e não materiais. Nesse artigo, vamos estudar a forma correta de dar esses presentes.

Em Mateus 6. 1 - 18, Jesus ensina que são também pertinentes aos cristãos as três principais expressões de piedade do judaísmo: dar esmolas, orar e jejuar. Contudo, mostra que a diferença deve estar no modo como são praticadas, no que as motiva. Adverte que devem ser realizadas sem ostentações, sem o desejo de receber louvores.

O fariseu era constantemente chamado de hipócrita por Jesus. O significado dessa palavra de origem grega é ator; ou seja, o fariseu exibia a religiosidade que no fundo era falsa; ele representava, como um ator, sua suposta santidade, buscando o aplauso da "platéia", ou seja, do povo. Ainda hoje, vemos muitos deles em nosso meio. São pessoas que têm aparência religiosa, vestem-se com pompa, falam macio, mais parecendo pessoas de outro mundo, e quando praticam alguma caridade fazem de tudo para que todos saibam.

Era característica do fariseu chamar atenção para si quando ia entregar uma dádiva (v. 2) também era seu costume escolher lugares públicos para orar (v. 5). Dirigia-se a Deus da mesma forma que os gentios (não-judeus) aos seus deuses, repetindo palavras e dizendo coisas sem sentido, julgando que, com isso, suas petições seriam atendidas. Além disso, fazia questão de desfigurar o rosto para mostrar que estava jejuando; para isso, usava até cosméticos que o faziam parecer morto (v. 16). Tudo isso para chamar atenção; todo esse exibicionismo para que dissessem: "Que homem religioso!" O quadro se repete ainda hoje, com mais ou menos os mesmos disfarces ou atrativos.

Lembro-me de um caso verídico narrado por um irmão-pastor. Em sua igreja, uma família se viu, da noite para o dia, totalmente desamparada. O pai da família, um empresário falido, fugiu para a casa da amante, em outro estado, deixando a esposa e dois filhos pequenos para enfrentarem sozinhos todos os credores. Pois bem, a igreja se mobilizou e os membros cotizaram-se para saldar os aluguéis e outras dívidas pessoais atrasados. Outra irmã, que tinha uma pequena casa nos fundos, abrigou gratuitamente aquela família. Um outro, que era dentista, empregou a mulher como sua assistente, e assim todos iam ajudando a reerguer aqueles irmãos.

Era comum alguém fazer uma compra no mercado e mandar entregar, anonimamente, no novo endereço dos irmãos em dificuldade. Mas dentre os que ajudavam, havia uma senhora, por sinal uma diaconisa, isto é, uma obreira, que toda vez que mandava alguma coisa, dava um jeito de fazer todo mundo saber o que ela havia feito. Seria muito melhor, então, que aquela diaconisa levasse pessoalmente seus donativos aos carentes. Mas não. Ela se comportava como os outros, isto é, mandava entregar a contribuição anonimamente, mas depois ficava inventando meios de fazer conhecido o seu gesto. Isso é farisaísmo. E do mesmo modo que enoja em relação a bens materiais também causa repulsa quanto às coisas espirituais.

Sobre esse tipo de pessoa, Jesus afirma no versículo 6: 
Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.
Esse comportamento mostra um total desconhecimento da pessoa de Deus, pois Ele não vê como o homem, não olha o exterior, mas sonda o coração ( v. 4, 6, 18). É impossível alguém enganá-Lo, pois Ele conhece até a intenção com que fazemos ou deixamos de fazer algo.

Conhece o Deus de teu pai e serve-o com um coração perfeito e com uma alma voluntária; porque esquadrinha o SENHOR todos os corações e entende todas as imaginações dos pensamentos; se o buscares, será achado de ti; porém, se o deixares, rejeitar-te-á para sempre.
I Crônicas 28. 2

Não estou dizendo que só podemos ajudar os necessitados às escondidas, sem sermos vistos, como se estivéssemos fazendo algo errado. Como conseqüência de nossas obras sociais, naturalmente, somos vistos pelos homens ao auxiliarmos os que precisam. O problema não está em ser visto ou não, mas na intenção do coração. Se o fazemos com intenção de aparecer, de receber elogios, já recebemos nosso galardão aqui na Terra; mas, se o realizamos com amor, buscando ajudar a quem precisa, Deus está vendo e nos recompensará, quer recebamos ou não a aprovação humana. Aliás, quando não somos vistos fazendo alguma coisa pelos necessitados, o próprio mundo nos condena, pois sabem que essa também é missão da Igreja.
Nos dizeres de Levertoff, "embora os discípulos devam ser vistos praticando boas obras, eles não devem fazer boas obras com o objetivo de serem vistos".



TEM  DE  SER  DADO  EM  SEGREDO

Se enviar presentes é orar por alguém, abençoando-o de tal modo que, às vezes, temos de lutar em oração, então a Palavra nos instrui acerca de como ele deve ser enviado.

Mas tu, quando orares, entra no teu aposento, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto. E teu Pai, que vê secretamente, te recompensará.
Mateus 6. 6

O presente que atinge o destinatário, que tem valor, é dado em secreto. Há algo muito interessante no significado da palavra quarto ou aposento (v. 6) no original grego (tameion).
Ela era empregada para designar uma espécie de depósito, uma sala secreta em que somente o dono da casa entrava e na qual se guardavam os tesouros. Dessa forma, o Senhor Jesus estava querendo dizer que no lugar secreto onde oramos há tesouros reservados por Deus a nós.

Explicando melhor: o lugar secreto é o nosso coração, onde guardamos os nossos bens. Devemos, ao orar, entrar no profundo do nosso ser, descobrindo-o para o nosso Deus, pondo de lado todos os nossos desejos e vontade colocando-nos prontos para fazer a vontade dEle. Quando o coração estiver bem aberto para o Senhor, nós devemos orar.

O nosso lugar secreto é como o Santo dos Santos, o lugar separado por Deus no Antigo Testamento, onde ficava a Arca da Aliança, no qual somente o sumo sacerdote entrava uma vez por ano (Hb 9. 1-15). Hoje, o nosso aposento pode ser o Santo dos Santos, o lugar de encontro com Deus, onde Ele nos revela a Sua vontade.

Quando você der presentes, não o faça com interesse de receber algo dos homens, nem para sentir aquela sensação gostosa de realização, em que você venha dizer: "Puxa, eu sou o máximo; tenho feito exatamente como o Senhor quer". Também não "toque trombetas", pois, senão, o presente não chegará até a pessoa. Mesmo que o presenteado nunca reconheça que você é o responsável pelas boas coisas que aconteceram a ele, lá no céu, o nosso Deus haverá de recompensá-lo.



O que tendo eu visto, o considerei; e, vendo-o, recebi instrução.
Provérbios 24. 32



x_3e1c66cc photo x_3e1c66cc_zps06a001ac.gif




sexta-feira, 5 de abril de 2013

O NOME


E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: 
É-me dado todo o poder no céu e na terra. 
Portanto, ide [...] 
Mateus 28. 18, 19

E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome [...]
Marcos 16. 17



 Qual efeito você sentiria na sua vida se um homem rico lhe desse um documento, 
com validade jurídica, dizendo que você deve usá-lo 
para suprir todas as suas necessidades?
Nós, porém temos recebido algo ainda melhor. 
Deus nos deu uma procuração, 
o direito de usar o Nome de Jesus!
E este Nome tem autoridade na Terra. 
O uso deste Nome é mais do que uma questão de fé; 
é uma questão de assumir seus direitos em Cristo, 
de tomar seu lugar como filho de Deus e de usar aquilo que lhe pertence. 
O Nome de Jesus está ao seu alcance.
Temos o direito de usar este Nome contra nossos inimigos. 
Podemos usá-Lo em nossos momentos de louvor e adoração. 
Nossas petições devem ser feitas por meio dEle.
 Louvado seja Deus, 
porque este Nome nos pertence!
Este Nome nos foi dado a fim de cumprirmos a vontade de Deus
 nessa dispensação em que vivemos. 
A primeira igreja cristã empregava essa autoridade; 
agia em Nome de Jesus. 
E nós devemos usar Seu Nome hoje também!


Toda autoridade no céu e na terra reside no Nome de Jesus. O uso deste Nome e a autoridade que Ele revela foram dados a mim e a você Temos o direito de usá-los!

x_3cebcff8

 

segunda-feira, 1 de abril de 2013

COMUNHÃO COM DEUS PAI, DEUS FILHO E DEUS ESPÍRITO SANTO!


Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão
 de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.
I Coríntios 1. 9

A honra mais sublime que Deus tem outorgado a você é dar-lhe comunhão com Ele, 
com Seu Filho e com o Espírito Santo na concretização do plano divino
 para a redenção da raça humana.

Em virtude do novo nascimento, você tornar-se Filho do Criador do Universo!
Você é herdeiro dEle.
 Mas o parentesco sem a comunhão é uma coisa sem vida. 
É como o casamento sem amor nem convívio.
A comunhão com Deus é fonte de fé.
 E Deus tem chamado você para a comunhão com Seu filho.
Se você tem comunhão com Deus e está andando na luz assim como Ele está na luz, 
a oração passa a ser um dos maiores bens que você herdou em Cristo.
Orar implica reunir suas forças com as de Deus Pai. 
É ter comunhão com Ele. 
É cumprir a Sua vontade na Terra.
A oração nunca deve ser um problema nem um fardo para você. 
Deve ser uma alegria. 
A verdadeira súplica diante de Deus não tirará nada de você; 
sempre acrescentará alguma coisa à sua vida!
Isso porque, enquanto você está intercedendo, 
está tendo comunhão com Deus.
E ISSO É MARAVILHOSO!!!



Eu incentivo aos casais a orarem juntos,
 é uma experiência fantástica... 
 Lembre-se que o cordão de três dobras,
 torna-se mais forte e nada pode arrebentar;
porque unindo-os está:
 O Nome precioso de Jesus!
E neste Nome há poder!!!
x_3cebcff8

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...