segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

DOM DE PROFECIA - FINAL




HÁ UM LIMITE PARA O NÚMERO DE MENSAGENS QUE PODEM SER ENTREGUES?
Há limite para tudo neste mundo, e, uma vez que nossas reuniões são limitadas pelo tempo, devemos ser cuidadores para não, tomarmos muito tempo com qualquer um dos aspectos de adoração.

ÀS VEZES, PODEMOS OUVIR SETE OU OITO MENSAGENS , ALGUMAS POR MEIO DE PROFECIA E OUTRAS POR MEIO DE LÍNGUAS POR INTERPRETAÇÃO?
Sim. Além disso, as próprias mensagens são, às vezes, muito longas. Vamos tirar uma lição da vida diária. Suponha, por exemplo, que, quando formos jantar , um só tipo de comida seja fornecido. Digamos que tenhamos, por exemplo, só batatas no nosso prato; sem carne, sem verduras, sem molhos; nada a não ser batatas! Devemos, começar a pensar se o cozinheiro era um dos mais sábios ou se a dispensa estava vazia. O mesmo acontece na nossa reunião. Se tivermos todos profetizando, falando em línguas, pregando ou cantando, deveríamos concluir que faltava sabedoria ao líder. Nossa congregação deve ser instruída nessas questões necessárias.

SOMOS ORDENADOS A BUSCAR OS MELHORES DONS. POR QUE,AINDA ASSIM, PAULO DIZ EM I CORÍNTIOS 12. 29: SÃO TODOS PROFETAS?
Naturalmente, fornecemos a resposta a tal pergunta com uma negativa. Porventura, são todos apóstolos?
A resposta é não. 
São todos profetas? São todos doutores? São todos operadores de milagres? Têm todos o dom de curar? Falam todos diversas línguas? Interpretam todos? 
(I Co 12. 29-30).
A resposta é obviamente negativa. Apesar disso, somos exortados a procurar com zelo os melhores dons.

O QUE SIGNIFICA O VERSÍCULO 31 DE I CORÍNTIOS 14: PORQUE TODOS PODEREIS PROFETIZAR, UNS DEPOIS DOS OUTROS, PARA QUE TODOS APRENDAM TE TODOS SEJAM CONSOLADOS? O NÚMERO NÃO É LIMITADO A DOIS OU TRÊS?
Significa que todos podem ter sua vez no devido andamento, e não a mesma pessoa continuamente. Naturalmente, presumimos que seja a forma que a Igreja de Corinto conduzia suas reuniões, diferente, é claro, da nossa ordem formada hoje, como diz o versículo 26: Que fareis, pois irmãos? Quando vos ajuntais cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. Sem dúvida, os membros da comunidade contribuíram mais para o serviço do que é de costume hoje.

TEMOS ALGUMA BASE NAS ESCRITURAS PARA UM PROFETA SER COLOCADO EM UMA IGREJA LOCAL? ISTO É, UM PROFETA PODE SER ESTABELECIDO NO OFÍCIO PARA CADA ASSEMBLEIA LOCAL?
Não há nada nas Escrituras que fundamente essa questão.

MAS NÃO ESTÁ NA BÍBLIA QUE DEUS COLOCOU ALGUNS NA IGREJA?
Essa é a Igreja universal. O Senhor não põe em cada igreja local um apóstolo, um profeta e um doutor, mas na Igreja universal, que é o Corpo de Cristo, eles são colocados ou posicionados para o benefício de todos.

POR QUE ALGUMAS PESSOAS PROFETIZAM DETALHADAMENTE, MAS OUTRAS O FAZEM EM POUCAS PALAVRAS?
Devemos também nos perguntar por que alguns dos Salmos são curtos, e outros, longos.

INTERPRETAÇÃO E PROFECIA SÃO CONCEDIDAS, ÀS VEZES, NA PRIMEIRA PESSOA (EU, O SENHOR), O QUE PARECE INDICAR ALGO EQUIVALENTE À INFALIBILIDADE. ISSO É CONTRÁRIO AO ENSINAMENTO DO NOVO TESTAMENTO?
Não há infalibilidade com os dons do Espírito, caso contrário, o apóstolo não instruiria os profetas a deixarem que os outros julguem (I Co 14. 29). A impressão que se tem é a de que não há razão nas Escrituras para uma pessoa, sob a unção do Espírito Santo e movida poderosamente por Deus, não ser usada por Ele para levar Sua mensagem aos outros. Por esse motivo, ocorre a fala em primeira pessoa.

A PROFECIA NAS ESCRITURAS É CONCEDIDA A FIM DE QUE INTERPRETEMOS EVENTOS ANTES QUE ELES SE CUMPRAM. SE, COMO RESULTADO, ALGUÉM FOR CAPAZ DE, CLARAMENTE, PREDIZER COISAS QUE OCORRERÃO, ELE DEVERÁ SER DESIGNADO UM PROFETA?
Uma pessoa que se esforça para descobrir o futuro pelo que está predito na Bíblia não é um profeta, mas um intérprete das Escrituras, um doutor. Um profeta é alguém que dá uma revelação em primeira mãos concernente àquilo que está por vir, a coisa que não estão nas Escrituras. Todavia, o que ele diz sempre estará em harmonia com o Livro Sagrado.

EM I TIMÓTEO 4. 14, APRENDEMOS QUE TIMÓTEO RECEBEU O DOM DE PROFECIA PELA IMPOSIÇÃO DE MÃOS DO PRESBITÉRIO. ESSE É O MÉTODO USUAL DE RECEBER UM DOM?
É evidente que o próprio apóstolo era aquele que, com os outros, impôs suas mãos sobre o jovem Timóteo, e se alguém possuir o poder do Espírito de tão extraordinária maneira como Paulo, naturalmente terá fé para esperar o Senhor conceder algum dom espiritual àqueles sobre os quais ele impõe as mãos. Contudo, se o cristão comum impuser suas mãos sobre outro para recebimento de um dom, isso não significa que aquele que buscar o receberá.

DEUS PODERIA CONCEDER O DOM POR INTERMÉDIO DE UMA PESSOA COMUM?
Com Deus, todas as coisas são possíveis, mas o Senhor geralmente trabalha de acordo com os princípios da sabedoria eterna. Ele poderia ter levantado filhos para Abraão a partir das próprias rochas, mas não ouvimos falar que isso tenha sido feito!

SERIA O DOM DE DISCERNIMENTO PARA O JULGAMENTO DAS PROFECIA 
(I CO 14.29)?
O primeiro e mais seguro caminho de julgamento é pela Bíblia. Está em perfeita harmonia com a Palavra de Deus? Se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva (Is 8. 20b).

O ESPÍRITO SANTO PODERIA INSPIRAR-NOS A USAR PALAVRAS QUE NÃO CONHECEMOS?
Novamente, podemos dizer:
A Deus tudo é possível 
(Mt 19. 26c), 
mas, de maneira geral, o Altíssimo usa um instrumento da maneira como Ele o encontra. Sob a influência do Espírito, ouvimos a pessoa mais comum falar fluente e expressivamente, e seu vocabulário torna-se ampliado, acima do seu discurso normal, mas sempre dentro dos limites do conhecimento dela.

SE ESSE É O CASO, QUEM POSSUI UM GRANDE VOCABULÁRIO SERIA MAIS USADO PELO SENHOR?
Não diríamos "mais usado pelo Senhor", mas mais apreciado pelos homens. O pregador fluente não é sempre o melhor pregador, pois, para dizer a verdade, a excelência do discurso pode chamar a atenção mais para o próprio discurso do que para a mensagem.

ENTÃO, O DOM DE DISCERNIMENTO NÃO TEM NADA A VER COM O JULGAMENTO DAS MENSAGENS PROFÉTICAS?
Não. Poderia parecer que o discernimento de espíritos não tem absolutamente nada a ver com o julgamento de mensagens proféticas, mas pode ajudar com o discernimento do próprio profeta; se ele fosse falso, poderia ser exposto por alguém com o dom de discernimento de espíritos.

ENTÃO, PROFECIA, EMBORA UM SIMPLES DOM DE INSPIRAÇÃO, DEVERIA SER DESEJADA?
Definitivamente, somos exortados a desejar esse dom inspirativo; quão livre e espontâneo ele é, edificando, exortando e confortando o povo de Deus com mensagens do Céu, ungidas pelo Espírito Santo. Esse dom inspirará as reuniões do povo do Senhor e abençoará cada membro individualmente na sua adoração ao Pai.

O dom profético possui o frescor de uma brisa fria em um dia abafado, o avigoramento de um vento que varre amplas extensões de terrenos pantanoso, a alegria do ar trazido pelos vastos oceanos. A inspiração fará com que as mais profundas cordas na alma do ouvinte vibrem como resposta a uma doce música, ou o farão reverenciar e escutar em êxtase a sua autoridade forte e graciosa.

Sob a unção do dom profético, a pessoa pode falar diretamente com Deus - sua alma emanando a mais profunda devoção; talvez ele esteja alegrando-se diante de Deus, glorificando-O nos livramentos, ou magnificando a misericórdia que o Senhor revelou abundantemente . Ela pode, ainda, estar afligida possivelmente no Espírito, sobre o pecado e a dureza do coração dos homens, com uma tristeza e profunda solenidade que o Céu sozinho pode inspirar.

Eis aqui o dom que pode abrir os portais para as outras manifestações e encorajar o possuidor a buscar maiores dons de revelação. Esse é o dom que todos devem desejar, o qual irá propagar sua simples inspiração, assim como as flores espalham suas fragrâncias. 
Siga o amor, exorte o apóstolo e deseje dons espirituais, mas preferivelmente, profetize.



PRÓXIMO POST:
O DOM DE DISCERNIMENTO DE ESPÍRITOS
Perguntas e Respostas




x_3cebcff8

Image and video hosting by TinyPic
 

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

O DOM DE PROFECIA - Parte 2



QUANTO A PASSAGEM DE I CORÍNTIOS  14, VERSÍCULO 24, QUE DIZ: MAS, SE TODOS PROFETIZAREM, E ALGUM INDOUTO OU INFIEL ENTRAR, DE TODOS É CONVENCIDO, DE TODOS É JULGADO, ELA INDICA CONVERSÃO?
Diz-se que ele é convencido de todos. Não afirma que ele seja convertido. A conversão pode naturalmente seguir a convicção após segredos do coração serem manifestados. Os dons do Espírito são sinais para atingir os homens. A salvação acontece pela pregação da Palavra.

ELE NECESSITA SER CONVENCIDO ANTES QUE PUDESSE SER SALVO?
Ele poderia ser convencido pela declaração do profeta e, então, alguém, presumimos, iria indicá-lo para o Senhor. Isso ilustra exatamente para qual propósito servem os dons. Deus os tem concedido para sinais e maravilhas a fim de atingir pessoas. Podemos ilustrar o ponto lembrando-nos da sarça ardente vista por Moisés. Ele teve uma grande visão, porque a sarça queimava e não se consumia (Êx 3. 2).

HÁ DIFERENÇA ENTRE O OFÍCIO DE UM PROFETA E O SIMPLES DOM DE PROFECIA?
Sim. Já declaramos que o maior inclui o menor. O dom de ministério é aquele do profeta. Há uma grande diferença entre o ofício do profeta e o dom de profecia. Um profeta é alguém que tem dons de revelação; a palavra da sabedoria, a palavra do conhecimento ou o discernimento de espíritos. No simples dom de profecia, não há revelação. Se uma pessoa que é profetisa us o simples dom de profecia é bastante razoável que um ou mais dons de revelação também funcionem em conjunto com o dom de profecia.

AS REVELAÇÕES DO PROFETA TORNAM-SE CONHECIDAS PELA PREGAÇÃO OU PELA PROFECIA?
Não é o método de comunicação da revelação o mais importante, mas os meios de recebê-la. O profeta pode conceder suas revelações repetindo-as em uma conversa usual ou profetizando-as sob a unção do Espírito. Além desse ministério sobrenatural, um profeta geralmente será um pregador e, como tal, estará na mesma posição que todos os outros pregadores, exceto pelo fato de que ele terá maior autoridade, a qual surgirá do seu ofício profético.

SE UMA PESSOA QUE NÃO POSSUI NENHUM DOS DONS DE REVELAÇÃO PROFETIZAR, E A REVELAÇÃO VIER NA PROFECIA, PODEMOS DIZER QUE ELA RECEBEU NAQUELE MOMENTO UM OU MAIS DONS DE REVELAÇÃO?
Diríamos que sim. Os dons podem ser dados inesperadamente, e, se uma pessoa que não tenha dado revelação antes encontrar-se declarando algo que se provou ser uma revelação genuína, então podemos concluir que ela a recebeu de Deus na hora em que estava exercitando o simples dom de profecia. Da mesma forma, a pessoa que nunca exercitou os dons de cura pode ser usada pelo Altíssimo em alguma ocasião específica. Qualquer dom pode ser concedido a qualquer momento que o Senhor veja que é adequado concedê-lo.

QUAIS SÃO OS  "MELHORES" DONS QUE SOMOS ORDENADOS A BUSCAR?
O melhor dom dos dons de revelação é, sem dúvida a palavra de sabedoria; o melhor dom de poder é o de fé, e o melhor dom de inspiração é o de profecia.

DEVEMOS DESEJAR A PALAVRA DE SABEDORIA ASSIM COMO NOS É DITO QUE PRECISAMOS DESEJAR PROFETIZAR?
Não, não nos é dito especificamente que desejemos a palavra de sabedoria, mas, quando a palavra nos orienta a buscarmos com zelo os melhores dons (I Co 12. 31), naturalmente concluímos que a palavra da sabedoria a qual nos concede a revelação da mente divina, seja o melhor e maior dom de Deus tem concedido à Sua Igreja, e deve ser o mais buscado com zelo para a glória e o serviço de Deus.

EM I CORÍNTIOS 14, VERSÍCULO 5, PAULO DIZ: O QUE PROFETIZA É MAIOR DO QUE FALA LÍNGUAS ESTRANHAS, A NÃO SER QUE TAMBÉM INTERPRETE. ISSO DÁ MARGEM PARA QUE A INTERPRETAÇÃO SEJA MAIOR QUE A PROFECIA?
Aquele que profetiza é maior do que aquele que fala em línguas sem interpretação, pois fala para edificação das pessoas. Quem fala em outras línguas sem interpretação não está edificando os outros. O apóstolo diz que devemos deixar que cada um fale para si mesmo e Deus. Se a interpretação é dada após o falar em línguas, então diríamos que é o equivalente da profecia. 

QUANDO ALGUÉM POSSUI O DOM DE PROFECIA, COMO SABER QUANDO O SENHOR DESEJA QUE ELE PROFETIZE?
Parece haver uma ânsia, uma unção muito graciosa do Espírito que faz com que a pessoa se sinta livre para falar, e parece gentilmente compelir a declaração. A pessoa terá um testemunho interior.

ENTÃO AS PALAVRAS QUE  VÊM PARA ELA NO MOMENTO SERIAM DECLARAÇÕES INSPIRADAS?
Sim. 
Profecia é falar sob a unção do Espírito e, quando a unção cessa, a pessoa deve cessar de profetizar.

UMA PESSOA DEVE BUSCAR O DOM DE PROFECIA ANTES DOS OUTROS DONS?
Em geral, achamos que recebemos o falar em línguas quando somos preenchidos pela primeira vez e, às vezes, também a interpretação. Depois, devemos desejar profetizar, pois a ênfase é dada a esse dom. Já que todos os que recebem o Espírito Santo têm a evidência inicial de falar em línguas, e, mais adiante, uma vez que aqueles que falam em línguas são exortados a interpretar: Pelo que, o que fala língua estranha, ore para que a possa interpretar (I Co 14. 3), então o Senhor está simplesmente levando-nos além espiritualmente ao nos exortar a desejar profetizar. Somos também ordenados a buscar os melhores dons; então, pareceria que devemos, na realidade, desejar todos os dons para o serviço do Senhor e, particularmente, o melhor.

É NECESSÁRIO RECEBER O DOM DE LÍNGUAS ANTES DO DOM DE PROFETIZAR?
O falar em outras línguas evidencia o fato de que Deus toma posse do tempo humano. Quando Moisés erigiu o Tabernáculo no deserto, o Senhor entrou naquele local, pois Moisés ouviu a voz de Alguém falando com ele a partir do propiciatório (Nm 7.89). Aquela voz sobrenatural provou a Moisés que o Todo-Poderoso estava no Santo dos Santos.

APÓS TERMOS PROFETIZADO, DEVEMOS IR EM BUSCAR DOS DONS DE REVELAÇÃO QUE TORNAM O INDIVÍDUO UM PROFETA?
Devemos buscar determinantemente tudo o que Deus tem para nós nas Escrituras. Temos uma herança rica.

ENTÃO ENTENDEMOS QUE O INDIVÍDUO NÃO É PROFETA ATÉ QUE PROFETIZE UMA REVELAÇÃO ESPECÍFICA?
Sim, é isso. Um profeta era anteriormente chamado vidente. Porém um vidente é alguém que vê de forma sobrenatural. Portanto, uma pessoa com o dom de profecia simples, o qual é um dom inspirativo, não pode ser chamada de vidente.

ALGUÉM QUE RECEBEU UMA REVELAÇÃO  É PROFETA, MESMO QUE A REVELAÇÃO SEJA PEQUENA?
Ele pode ser um profeta embrionário. Devemos esperar que as primeiras manifestações de qualquer dom sejam pequenas. Não importa quão minúscula uma maçã possa ser no princípio, pois ela começa a se formar antes de amadurecer. Pode desenvolver-se, uma vez que a árvore é uma macieira. Do mesmo modo, se uma pessoa tem uma revelação específica, por menor que pareça, é um dos três dons de revelação no embrião. A revelação, contudo, deve ser específica, e não geral, em caráter e aplicação.

DEVEMOS RESPONDER COM OS DONS E EXERCITÁ-LOS CADA VEZ QUE SENTIMOS A UNÇÃO SOBRE NÓS?
Não toda vez. Há regras estabelecidas em I Coríntios 14. 27: E, se alguém falar em línguas estranha, faça-se isso por dois ou, quando muito, três. e por sua vez e haja intérprete. No versículo 29, lemos que somente dois ou três profetas devem falar, significando que há limitação para as manifestações. Não devemos nos esquecer, também, de que o espírito do profeta está sujeito so profeta (I Co 14. 32).


PRÓXIMO POST:
O DOM DE PROFECIA 
FINAL


x_3cebcff8


Image and video hosting by TinyPic
 

 

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

O DOM DE PROFECIA - Perguntas e Respostas



O QUE É O DOM DE PROFECIA?
Profecia é o primeiro dos três dons de inspirações. Embora seja um dom simples, ele, muitas vezes, tem sido bastante mal-interpretado porque o termo profecia, como outros, é usado tanto de forma geral como específica.

QUALQUER EXPRESSÃO INSPIRADA PODE SER CHAMADA DE PROFECIA?
Sim, mas nem toda expressão inspirada é uma manifestação do dom de profecia. Todos os que falam pela inspiração podem profetizar, mas alguns são espiritualmente mais ricos dos dons do Espírito do que outros. No exercício desse simples dom de profecia, alguns dos maiores dons de revelação podem ser manifestados. Todavia, esses dons de revelação podem ser manifestados com o simples dom de profecia. Eles são separados e distintos, embora funcionem juntos.

É CORRETO DIZER QUE O DOM DE PROFECIA NADA MAIS É DO QUE UMA PREGAÇÃO, QUANDO ALGUÉM PREGA NO PODER DO ESPÍRITO?
Não. Profecia não é pregação. Se o fosse, preparar-se para a pregação seria desnecessário, já que a pessoa poderia esperar pela unção do Espírito sem qualquer premeditação. Aquele que ministra deve esperar no seu ministério. As Escrituras afirmam que Deus salva os homens pela loucura da pregação ( I Co 1. 21), e não pela manifestação da profecia.

HÁ PODER PARA SALVAR ALMAS EM ALGUM DOS DONS DO ESPÍRITO?
Na verdade, não há. Os dons do Espírito são dados para sinais e maravilhas que prendem a atenção. No  dia de Pentecostes, por exemplo, quando a multidão ouviu os discípulos falando em outras línguas e estenderam muitas línguas que estavam sendo faladas, ainda assim muitas das línguas que estavam sendo faladas, ainda assim
ninguém se converteu ate que Pedro se levantasse e pregasse o Evangelho ( At 2)! 
Os dons do Espírito, portanto, têm o propósito de prender a atenção das pessoas, e a pregação sozinha é o veículo por meio do qual elas são salvas. O Senhor Jesus falou: As palavras  que eu vos disse (e não as que eu vos profetizo) são espírito e vida (Jo 6. 63b).

O DOM DA PROFECIA NOS MOSTRA COISAS ESTÃO POR VIR?
Sim, mas usamos o termo profecia no sentido geral quando queremos dizer predição. O termo geral profecia pode cobrir todos os dons de expressão, mas o termo específico de profecia é definido assim: Mas o que profetiza fala aos homens para edificação,  exortação e consolação 
(I Co 14. 3). A revelação não é mencionada.

ALGUMA OUTRA PASSAGEM DAS ESCRITURAS DEFENDE ESSA VERDADE?
Sim. Em I Coríntios 14.6, o apóstolo Paulo refere-se à edificação da Igreja e questiona: Que vos aproveitaria, se vos não falasse ou por meio da revelação, ou da ciência, ou da profecia, ou da doutrina? Aqui a revelação e a profecia são dadas como separadas e distintas uma da outra, pois o simples dom de profecia obviamente não contém revelação.

TEMOS OUVIDO PESSOAS EXPRESSANDO, SOB APARENTE UNÇÃO DO ESPÍRITO, PASSAGENS DA ESCRITURA EM UMA SEQUÊNCIA SENSATA. ISSO PODE SER CHAMADO DE PROFECIA?
Não exatamente. Sentimos que isso dificilmente pode ser aceito como evidência do dom de profecia, uma vez que Deus já inspirou Sua Palavra. Repetir passagens dEla, por mais útil e boa que a sequência seja, não pode ser considerado uma manifestação do dom de profecia, já que profecia é uma expressão inspirada nova e pura,  vinda da Fonte eterna.

COMO DEVEMOS DEFINIR PROFECIA?
A profecia pode ser definida como a forma mais simples de expressão inspirada. Podemos chamar de poesia do Espírito, uma vez que os pensamentos expressados e a linguagem que os reveste são criados acima do nível usual do dom natural de falar da pessoa.

O DOM DE LÍNGUAS É MAIOR QUANDO ACOMPANHADO DO DOM DE INTERPRETAÇÃO?
Na verdade, não é maior. Podemos considerar a profecia semelhante ao falar em línguas com interpretação.

A LINGUAGEM DA PROFECIA SE DISTINGUE DO DISCURSO DO DIA A DIA?
Sim. Como já dissemos anteriormente, a profecia pode ser chamada de poesia do Espírito, uma vez que a beleza de expressão na profecia não diz respeito ao discurso usual.

A PROFECIA PODE SER USADA NA ORAÇÃO?
Decididamente. A profecia tem sido frequentemente usada na oração, e as orações de Davi no Livro de Salmos são belos exemplos do dom profético.

EM QUE OUTRA OCASIÃO A PROFECIA FOI USADA?
A profecia foi usada no livro de Jeremias, quando esse profeta lamentava o estado de Jerusalém e as calamidades que recaíam sobre seu país e povo.
Também foi usada em canção, como aconteceu quando Moisés fez com que os filhos de Israel cantassem quando eles tinham atravessado o mar Vermelho (Êx 15. 1). 
Ana também profetizou após o nascimento de Samuel 
(I Sm 2. 1-10).
Isaías inclui um pequeno cântico no seu livro (capítulo 12), e o capítulo 3 do profeta Habacuque também é escrito em forma de oração. Por meio do dom de profecia, podemos orar ao Senhor e glorificar o Seu Nome, dar-Lhe graças pelo Seus benefícios, criar nossos cânticos de júbilo e fazer intercessão pelos outros. Isso, todavia, difere da oração usual que é feita sob a unção do Espírito e não se origina na mente do falante. Profecia é falar como o Espírito concede a declaração; não é, em sentido algum, evidência de um intelecto superior.

COMO A PROFECIA DIFERE DA  ELOQUÊNCIA NATURAL OU DO DOM POÉTICO?
O dom poético é uma expressão de um talento natural que exige pensamento, imaginação e composição, e é muitas vezes sujeito ao aperfeiçoamento na escrita. Necessita também estar em métrica, e geralmente é escrito em rima. Já a profecia, bem diferente, não é nem em métrica nem rima, e não brota do talento natural de uma pessoa. Por essa razão, alguém que não é, de modo algum, poético por natureza pode, sob a unção, ser poético no Espírito. Por outro lado, alguém poético por natureza pode não possuir o dom de profecia no menor nível possível.

PARA TER O DOM DE MINISTÉRIO DE UM PROFETA, A PESSOA NECESSARIAMENTE DEVE TER O DOM DE PROFECIA PRIMEIRO?
Naturalmente o maior incluirá o menor dom, e, se um homem é profeta, sem dúvida possuirá o dom de profecia.

MAS TER ESSE DOM NÃO O FAZ UM PROFETA?
Um homem rico terá dinheiro, mas há multidões que têm dinheiro e não são ricas. Exatamente o mesmo acontece com relação às questões espirituais. Todo profeta terá o dom simples de profecia, mas haverá muitos que têm o dom simples os quais não são profetas.

A PROFECIA PODE, ALGUMA VEZ, TOMAR O LUGAR DA MENSAGEM PREPARADA PARA PREGAÇÃO?
Tal profecia não seria para o serviço de ganhar almas porque não há vida concedendo poder em expressões proféticas, pois é pela loucura da pregação que as pessoas são salvas ( I Co 1. 21). Consequentemente, a profecia não pode ser substituta da palavra pregada.



PRÓXIMO POST:
O DOM DE PROFECIA
Parte 2

x_3cebcff8



Image and video hosting by TinyPic
 

 

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O DOM DE CURA - FINAL



SE ALGUÉM TEM OS DONS DE CURA, SIGNIFICA QUE ELE PODE CURAR TODAS AS PESSOAS?
Se ele tivesse todos os dons de cura, e se cada dom estivesse em plena operação, significaria que poderíamos pensar que sim. 
Contudo, não há como afirmamos quantos dons de cura estariam inclusos no dom composto.
Além disso, alguns que não são curados podem estar sofrendo de uma punição divina por pecado não confessado.

HÁ CASOS EM QUE AS PESSOAS TÊM BUSCADO A CURA APENAS PARA VER SE ELA ACONTECERÁ DE FATO?
O elemento curiosidade certamente tem movido alguns que buscam a cura, mas o Senhor é muito misericordioso, e, na realidade, algumas das pessoas curiosas e descrentes têm sido surpreendidas com a bondade e o poder de Deus - considerando que muitos, embora sejam cristãos estabelecidos, têm tanta descrença em seu coração com relação à cura que não conseguem receber a benção. Deus espera que o cristão confie nEle, enquanto o incrédulo tem dons manifestados a seu favor para convencê-lo da verdade do Evangelho.

SERIA POSSÍVEL UMA PESSOA QUE TEVE UMA CURA MARAVILHOSA RECEBER OS DONS DE CURA?
Pelo fato de a pessoa ter sido curada extraordinariamente, nada pode sugerir que o ministério de cura irá tornar-se seu. Todavia, é possível que tal pessoa ache mais fácil orar por esses dons, uma vez que ela experimentou tal manifestação sagrada do poder de cura do Senhor.

ALGUNS DE FATO RECEBERAM O DOM APÓS TEREM SIDO CURADOS?
Sem dúvida. Há certamente a possibilidade de que a pessoa que recebeu a oração obtenha tamanho influxo do poder divino, que sua fé se levante, e ela receba não somente a cura para o corpo, mas também o ministério de cura.

É POSSÍVEL QUE UM MEMBRO AMPUTADO SEJA RESTAURADO?
Para Deus nada é impossível, mas não há caso na Bíblia que relate especificamente que um membro perdido foi restaurado. Lemos que Jesus curou o mutilado, o que sugere a restauração de membros perdidos. O caso mais próximo registrado nas Escrituras é o da orelha do servo do sumo sacerdote que foi cortada, a qual Jesus tocou e restaurou (Lc 22. 50,51).

POR QUE O ESPINHO NA CARNE DE PAULO NÃO FOI CURADO?
A resposta nos é dado. O apóstolo não deveria ser exaltado destemidamente com a abundância das revelações que ele havia recebido. Paulo declarava que o espinho era um mensageiro de Satanás que vinha para esbofeteá-lo
 (II Co 12. 7). 
Isso, portanto, não é uma queixa física, mas uma investida espiritual, e o mensageiro era permitido por Deus para prevenir o apóstolo de qualquer glória prejudicial na revelação. Uma vez que sua revelação das coisas espirituais eram tão maravilhosas (pois ele tinha ouvido palavras inexprimíveis), era muito relevante para o Senhor diminuir o êxtase espiritual de Paulo, permitindo a ação de uma irritação, a qual produziria muita humildade sobre o apóstolo.

PODERÍAMOS DIZER QUE O MESMO ACONTECE NOS NOSSOS DIAS?
Podemos dizer que a origem de toda doença é satânica, pois, se não tivesse havido pecado, não haveria doenças, e pode usá-las como uma disciplina ou, inclusive, permitir a ação de agentes satânicos para Sua glória; afinal, até a ira dos homens deve louvá-lO. Tal é a infinita sabedoria do Senhor, que Ele faz com que tudo coopere para o nosso bem quando O amamos (Rm 8. 28).

O CRISTÃO DIMINUI SEU PADRÃO ESPIRITUAL QUANDO VAI AO MÉDICO?
Tudo o que glorifica o Nome do Senhor é bom, porém, qualquer coisa que fica entre Deus e Sua glória não é boa. Quanto mais dependermos diretamente do Altíssimo para a plenitude de Suas promessas, mais Ele será glorificado, nossa vida espiritual, enriquecida, e nossa fé, fortalecida. Quando aceitamos os serviços do médico, não estamos em um nível mais alto do que as pessoas não convertida. Isso é o que elas inevitavelmente fazem quando estão doentes.

E NO CASO DE UM ACIDENTE?
Temos de dizer: Seja-vos feito segundo a vossa fé 
(Mt 9. 29b). 
Não devemos esquecer que Deus nos preserva dos acidentes e pode cumprir a seguinte palavra: Ele lhe guarda todos os seus ossos; nem sequer um deles se quebra 
(Sl 34. 20). 
O altíssimo é capaz de, instantaneamente, curar o membro quebrado; afinal, não há limites para o Seu poder. Porém, as promessas divinas em tal ocasião costumam ser esquecidas, e o médico é chamado. Não podemos falar contra os serviços da profissão médica, mas temos de declarar que a maior atitude e a que mais glorifica o nosso Deus é confiar no Senhor para a cura.

HOUVE CASOS EM QUE PESSOAS CONFIARAM EM DEUS, MAS SOFRERAM. SE ELAS TIVESSEM RECEBIDO ALGUM TRATAMENTO, PODERIAM TER EVITADO O SOFRIMENTO?
Há pessoas que não confiam no Senhor nem no médico. Elas não receberam a bênção divina nem a ajuda médica. Se não podemos confiar em Deus para o cumprimento da Sua palavra, então precisamos de auxílio médico.

PODEMOS TER UM ESCLARECIMENTO MELHOR DE TIAGO 5. 15,16
 EM RELAÇÃO À CURA? 
OS PECADOS DEVEM SER CONFESSADOS ANTES DA UNÇÃO COM ÓLEO? 
É POSSÍVEL QUE, OMITINDO ESSA PARTE DAS ESCRITURAS, 
AS CURAS SEJAM LIMITADAS OU ATÉ NEGADAS?
A passagem de Tiago refere-se, é claro. aos casos muito sérios de doenças, nos quais a pessoa está provavelmente confinada em sua cama. O Senhor prometeu, em resposta às orações efetivas de homens fervorosos, levantar os aflitos. Agora, se a pessoa está deixada de lado por causa de um pecado, o certo e normal para ela é confessar o pecado. Quando este é causa da doença, deve ser confessado e perdoado antes que a cura possa ser esperada.

ESSA É A RAZÃO DE NÃO HAVER MAIS CURAS?
Não há dúvidas de que pecado não confessado, como dissemos, impedirá a cura do corpo. Paulo, em I Coríntios 11, declara que alguns, por não considerarem a mesa do Senhor de maneira santificada, ficaram doentes, outros foram julgados com morte. Então, pecado e doença estão estritamente aliados em muitas situações, mas não em todas.

ALGUÉM COM UMA QUEIXA PEQUENA DEVE IR ATÉ A PESSOA QUE TEM OS DONS DE CURA?
Quando falamos de "pequenas" queixas, frequentemente estamos na ilusão de que pequenas doenças exigem muito pouca fé, e que uma queixa muito séria clama por uma grande fé. Vamos pensar na questão de fornecimento principal de eletricidade ( a caixa de força na rua). Para uma lâmpada elétrica muito pequena na casa, devemos necessitar, de fato, da comunicação direta com a caixa de força da mesma forma como precisássemos de uma luz muito poderosa.

ISSO SIGNIFICA QUE DEVEMOS TER CONTATO DIRETO COM DEUS PARA QUE CADA DOM DE CURA OPERE?
Sim. A instalação não pode ser tão pesada para uma luz menor quanto para a forte, mas, em cada caso, o  contato deve ser direto com o fornecimento central da energia. Se alguém pode orar para a menor queixa física, e Deus ouvir esse clamor e responder a ele, aquela pessoa fez uma comunicação positiva e direta com o Céu. Devemos esperar normalmente que tal pessoa tenha seu dom desenvolvido pelo uso.

NÃO É UMA GRANDE DECISÃO PARA UM PAI DEIXAR SEU FILHO SOFRER EM VEZ DE BUSCAR AJUDA MÉDICA?
Nenhum pai deve deixar o filho em condição precária. Se ele tiver uma fé viva no Senhor, a profissão médica será desnecessária, pois sua fé prevalecerá. Se ele não tiver essa certeza positiva dada por Deus de que seu filho irá recuperar-se, ele não deve negar a ajuda que a profissão médica pode oferecer-lhe.

ENTÃO A DECISÃO DEVE SER DE ACORDO COM A FÉ?
Sim, quando nos deparamos com grandes decisões, devemos tomá-las no temor de Deus, e não sermos presunçosos na nossa fé. A Palavra diz sobre o que profetiza: Se é profecia, seja ela segundo a medida da fé (Rm 12. 6b). A pessoa deve aplicar o mesmo princípio para alguém que está buscando a cura divina para seus filhos: "Deixe-o confiar segundo a medida da fé".

PODEMOS AFIRMAR QUE OS DONS DE CURA SÃO TÃO MARAVILHOSOS QUANTO A OPERAÇÃO DE MARAVILHAS?
Sem dúvida, a operação de maravilha é maior que os dons de cura, todavia parece que estes auxiliam a propagação do Evangelho hoje mais do que a operação de maravilhas. Há um incontável número de sofredores encontrados em vasta população da Terra, e os dons de cura podem ajudá-los e inspirá-los a crer no gracioso e compassivo Deus.
Consideremos alguns dos extraordinários exemplo dos dons de cura que foram registrados:
Um general sírio foi limpo da terrível doença de lepra
 (II Rs 5. 9-14)
Um rei foi levantado de um evidente leito de morte
 (II Rs 20. 1-6)
Um homem que, por muitos naos, era coxo saltou e pôs-se de pé
 (At 3. 1-8)
Um cego recebeu a visão em um instante 
(Mc 10. 46-52)
Um surdo de repente ouviu 
(Mc 7. 32-35)
E os lábios de um mudo de nascença começaram a falar 
(Mt 9. 32,33)

Essas manifestações do Espírito Santo glorificam o Altíssimo e abençoam o homem, inspirando a fé no Senhor Jesus Cristo, em cujo Nome as curas são operadas. 
Aqueles que recebem a restauração física são também restaurados
 espiritualmente; a cura natural do corpo os leva à salvação. 
Os dons de cura propagam a luz beneficente da compaixão 
divina nas câmaras sombrias do aflito, tirando as 
fraquezas do doente e emagrecido, dando-lhe, 
em troca, força e vigor,
 acendendo uma nova luz nos olhos lânguidos, 
dando nova cor às bochechas e vivificando com 
saúde e força cada fibra daquele ser.
Que Deus possa, na Sua misericórdia, 
agradar-Se de nos conceder mais manifestações 
desses graciosos dons de cura
 em nossos meio.

PRÓXIMO POST:
O DOM DE PROFECIA
Perguntas e Respostas


x_3cebcff8





  Image and video hosting by TinyPic

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...