quarta-feira, 25 de setembro de 2013

RAZÃO E FÉ.. Eis a questão!



Há algum tempo comecei a pensar a respeito da situação, e esse é um ponto crítico para receber a salvação., a fé ou o que você mais precisa da parte de Deus: enquanto Satanás conseguir manter você na arena da razão, ele irá vencê-lo todas as vezes, em toda batalha, em todo conflito. Mas, se você mantiver Satanás na arena da fé, irá derrotá-lo em todas as circunstâncias!
Comecei a pensar a respeito disso durante alguns momentos. 
Então, desliguei minha mente e me recusei a pensar a respeito 
(podemos treinar a nós mesmos para fazermos assim;  já comecei a fazê-lo quando era adolescente).

Lá do fundo do meu interior, em meu espírito, algo subiu borbulhando e saiu pela minha boca. Então comecei a rir - uma risada que saía do meu íntimo.
Falei: "Não, não estou achando que meu irmão será salvo; sei disso. Entenda, Satanás, que lancei mão do Nome de Jesus (Satanás não pode negar o poder daquele Nome), rompi seu poder sobre o meu irmão e reivindiquei a libertação de meu querido irmão e a plena salvação!".

Se o diabo me tivesse levado a começar a pensar. Ora, espero que ele seja salvo... Não sei se irá ou não... Talvez, sim -, ele irá me derrotar. Mas, simplesmente, desliguei minha mente e recusei-me a preocupar-me a respeito.
Dentro de duas semanas. meu irmão foi salvo. Hoje ele é um pregador da Palavra.


OUTROS  MÉTODOS

Essa é apenas uma das maneiras para orar pela salvação de um ente querido. Para outros parentes, orei de modo diferente.
A respeito de um deles, simplesmente falei: "Senhor, envia alguém ao local onde ele estiver". No caso de outro, falei: "Rompo o poder do diabo sobre ele em Nome de Jesus". Por outros, recebi o espírito da intercessão.
O fundamento de tudo isso é ter a Palavra e o Espírito de Deus. Todo cristão precisa aprofundar-se na Sagrada Escritura e estudar aquilo que Ela diz a respeito desse assunto de interceder pelos perdidos. 
Por exemplo, 
Romanos 15. 1 diz: Nós que somos fortes devemos suportar as fraquezas dos fracos.
Gálatas 6. 2 declara: Levai as cargas uns dos outros e assim cumprires a lei de Cristo.
É comum as pessoa fazerem orações incorretamente - e abrirem a porta para o diabo. Elas oram: "Senhor,  acolhe meu ente querido, custe o que custar". Mas Jesus já pagou o preço! As pessoas precisam compreender esse fato. Quem não compreende acaba abrindo a porta para Satanás fazer muitas coisas. As pessoas dizem: "Bem, Deus usou aquela tragédia para levar Fulano à salvação". Mas esse tipo de pensamento não está em harmonia com a Bíblia.
Pessoas têm sido salvas em tempos de guerra, enquanto as bombas caem em mulheres e crianças inocentes estão sendo mortas! Mas não foi essa a maneira que Deus quis usar para levá-las à salvação! É claro que o Altíssimo está presente quando as pessoas se voltam a Ele. Mas não precisamos pedir que caiam tragédias sobre as pessoas a fim de obrigá-las a se voltarem para o Todo-Poderoso!
Quando o Senhor começa a lidar com alguém, vem sobre ele um espírito de convicção, usualmente mediante a oração. Muitas vezes, a pessoas se sente mais desgraçada, e o convívio com ela fica mais difícil do que antes - mas você não precisa rogar contra ela um acidente ou uma enfermidade para que nasça de novo!
Em vez disso, você precisa depender do Espírito Santo de Deus para guiá-lo. É necessário usar de sabedoria para saber quando deve falar com seus entes queridos e quando tem que manter a boca fechada. Mas é claro que estará orando por eles o tempo todo.

PRÓXIMO POST
Deus lida com famílias

x_3e1c66cc photo x_3e1c66cc_zps06a001ac.gif



quarta-feira, 11 de setembro de 2013

CERCANDO O ADOLESCENTE DE FÉ E AMOR


Por isso vos digo que tudo o que pedirdes, orando crede que o recebereis e tê-lo-eis. 
Marcos 11. 24

Tudo o que disser lhe será feito.
Marcos 11. 23b


O que você terá na vida?
Aquilo que você disser.
Quem falou assim?
JESUS!

É verdade,?
Você supõe que Jesus, realmente, sabia o que estava falando?
Creio que Ele contou a verdade, não acha?

Ora, se o Mestre estava falando a verdade, seria melhor eu verificar aquilo que estou dizendo, especialmente se não estiver satisfeito com o que tenho - e não falo apenas a respeito de ser curado.


O PEDIDO DE UMA MÃE

Ela me falou: 
"Quero que você me prometa que vá orar todos os dias pelo meu filho, que tem 15 anos. Sou viúva e não consigo  fazer com que ele me obedeça em nada. Não consigo persuadi-lo a ir ao templo. Ele   está andando com uma quadrilha, e temo que estejam usando drogas. Fica fora de casa até as três ou quatro da madrugada. Fico acordada à noite, esperando o telefone tocar para me avisar que meu filho foi levado à cadeia".

Eu a interrompi, antes que ela conseguisse me contar mais coisas
 a respeito de como seu filho era ruim, e falei:
 "Não vou fazer isso".

Ela ficou chocada.
"Não vai mesmo?"
"Não, senhora. Não vou. 
Não lhe prometerei que orarei por ele uma única vez".
"Não diga!", exclamou.
"Veja bem", continuei, "minhas orações não surtiram efeito porque você anularia a eficácia delas por suas crenças e palavras erradas. Não importa quantas orações as pessoas façam, enquanto você continuar dizendo ao seu filho que ele nunca prestará para coisa alguma e que acabará em uma casa de detenção, ele nunca será um sucesso".

A mulher arregalou os olhos. 
"Como você sabia que eu falava assim com ele?".


PRODUTOS DA PALAVRA

Falei: 
"Para ele estar em péssima situação, forçosamente foi você quem o levou a isso com seu falatório.
Somos produtos daquilo que é falado. As palavras são capazes de levar um menino a amar os estudos. Elas podem fazer com que ele queira frequentar o templo, mas podem conservá-lo fora dele".
O que devo fazer?, perguntou a mulher.

"Em primeiro lugar, já que você já faz há tanto tempo e que ele já atingiu certa idade, é só deixá-lo em paz. Seu filho fica ressentido quando a senhora fala com ele tenta mandar em alguma coisa. É só deixá-lo em paz. Não tente ensinar-lhe nada. Não lhe dê sermões nem implique com ele".

"Agora, a segunda coisa", continuei, "é mudar seus pensamentos e seu modo de falar. Em casa, mesmo quando não sabe onde seu filho está, diga: 'Cerco meu filho com fé'. Você andou cercando-o de dúvidas. Agora, cerque-o de fé. E, mesmo se seu coração não crê nisso de início, diga: 'Não creio que ele vá para o reformatório, nem para a cadeia. Creio que ele vem para Deus'. Uma vez que a ideia se registra no seu coração, você começará a confiar".
"Ora, ela diz, "vou experimentar".
Não funcionará com mera experiência, mas, sim, se você colocar em prática. Jesus não disse que teríamos aquilo que experimentássemos, mas, sim, tudo quando falássemos".

Algum tempo depois aquela mulher me fez o seguinte relatório.

Você lembra de quando eu pedi que orasse pelo meu filho, 
e você me chocou ao recusar-se?

UM BOM RELATÓRIO

A mulher continuou: 
"Quero dizer-lhe uma coisa aquilo que a irmã me ensinou deu certo!
Ora, não parecia que funcionaria. Meu filho ficou pior, e manter a boca calada foi coisa mais difícil que já fiz. Mas, todos os dias e todas as noites, continuei dizendo: 'Cerco-o com fé e amor. Creio que ele irá a Deus e que tudo dará certo na vida dele. Meu filho não irá para o reformatório'. Minha cabeça dizia que ele iria para lá por causa do grupo com que andava, mas eu falava em meu coração: 'Ele não irá para reformatório. Não creio que acabará indo para a cadeia".

Ela continuou: "Ficamos assim durante quase um ano. Depois, certo domingo de manhã, após ele ter ficado fora durante quase a noite toda, levantou-se da cama. Normalmente, teria dormido até tarde, mas levantou-se e veio tomar o café da manhã. E enquanto comíamos, disse: "Mãe, acho que vou para ao templo com você esta manhã".

Ela falou: "Simplesmente, fiz-me de indiferente e falei: 'Ora, meu filho, você foi deitar-se muito tarde; deve estar precisando de descanso'" (antes, ela implicava com ele para ir).

"Não", respondeu, "eu quero ir".
"Está bem", falou. "Depende de você, mas acho que teve poucas horas de sono".
"Quero ir", respondeu ele. E foi para o templo e ficou no culto.
Quando foi feito o apelo no fim daquela reunião, o jovem foi para frente e aceitou o Senhor Jesus.


UM FILHO NOVINHO EM FOLHA

"Posteriormente", ela me contou, "meu filho recebeu a plenitude do Espírito Santo. Antes, ele era totalmente do diabo, mas, agora, é totalmente de Deus!
Arde como fogo na causa do Senhor. Creio que será um pregador. Garanto que ele é um menino 'novinho em folha'. Tenho um filho 'novinho em folha'".

"Obrigada", ela me disse. "No começo, quase fiquei magoada porque você foi tão sincera comigo. Mas entendi tudo. Corrigi minha atitude e, louvado seja Deus, estou com um filho 'novinho em folha'".

E aquela senhora acrescentou: "Sabe de uma coisa? Vou contar-lhe algo mais. Ele está com uma mãe 'novinha em folha'".
Essa mulher era salva e cheia do Espírito Santo, e já fazia muitos anos que frequentava um templo, mas naquele dia, ela me contou: "Já não penso como antes. Agora, às vezes, quase preciso dar um beliscão em mim mesma para ver se estou sonhando, e pergunto: 'Sou eu, realmente?' No passado, eu só me preocupava - era uma preocupação após outra. Agora, isso não acontece mais".

"Além disso", continuou, "sinto-me muito bem fisicamente. Pareço uma jovenzinha. Tenho vida e vigor".
Quando essa mulher começou a dizer o que era certo, tudo melhorou. 

Jesus disse:
Tudo o que disser lhe será feito (Mc 11. 23b).

x_3e1c66cc photo x_3e1c66cc_zps06a001ac.gif




quinta-feira, 5 de setembro de 2013

O PAPEL DO PAI CRISTÃO!


Ao estudarmos a Palavra de Deus, descobrimos que o Senhor tem muita coisa a dizer a respeito do cuidado com a família.
Pessoalmente, creio que a Bíblia ensina que devemos cuidar da nossa família em primeiro lugar
antes das demais obrigações. 
Por exemplo, lemos em I Timóteo 5.8: 
Mas, se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família, negou a fé e é pior do que o infiel.
Entretanto, ter cuidado com a família envolve mais do que meramente fornecer alimento, abrigo e roupa; significa, também, dedicar amor, disciplina e tempo aos familiares. Lembre-se: os filhos não aprendem apenas a partir das palavras que os pais proferem, mas das ações e atitudes deles. E, é claro, não aprenderão se os pais forem ausentes!

FILHOS  DE  CRISTÃOS
Muitos cristãos têm filhos inseguros, porque, simplesmente, dão prioridade a tantas outras coisas e deixam os filhos de lado. Pode ser que você leve milhões de pessoas a Cristo, mas isso não valerá coisa alguma se perder as três ou quatro almas que estão em sua casa. Segundo a Palavra de Deus, nossa primeira responsabilidade é com nossos filhos.
A Bíblia diz:
Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele 
(Pv 22.6).
Outra coisa importante a se ter em mente é: não fale negativamente, na frente das crianças, a respeito das igrejas que você tem visitado, das conferências que tem realizado ou dos problemas de outros pregadores. Quem faz isso dá aos filhos uma ideia errônea de pessoas e lugares. As palavras que proferir em casa poderão voltar para atormentá-lo!
Os filhos refletirão o modo de você pensar e dirão aquilo que você diz.
Por amor aos filhos, é importante manter diante deles a ideia de que os pastores são pessoas excelentes. Se ensinar às crianças corretamente, posteriormente, terão a capacidade de lidar com certas verdades quando se depararem com elas.

POR QUE MUITOS FILHOS DE PREGADORES SE DESVIAM
Já conheci muitos filhos de pregadores que, hoje, não são cristãos nem frequentam uma igreja.
Por que?
Porque o pai deles sempre estava demasiadamente preocupado com João Almeida, Kátia do Amaral e Carlos Rocha, membros da igreja, e não podia nem mesmo lhes dizer um bom-dia. Por causa disso, os filhos ficaram amargurados e ressentidos, e viraram as costas para os assuntos relacionados ao Senhor.

A  RESPONSABILIDADE  É SUA
Creio que a Palavra de Deus ensina que o pregador tem sua esposa e seus filhos como sua primeira responsabilidade, mesmo acima do seu ministério. Aquelas crianças não pediram que nascessem. Você e seu cônjuge as fizeram nascer neste mundo, e Deus lhes disse que têm a responsabilidade de criá-las nos caminhos da retidão e da religião.
Essa responsabilidade não recai na babá, na avó, nem na tia. Não importa quanto as outras pessoas amem seus filhos, elas não lhes podem dar aquilo que só você é capaz de conceder-lhes.
Já veio a hora de reconhecermos que o Senhor não quer que fujamos das nossas responsabilidades por fora. Em alguns momentos, a vocação precisa vir em primeiro lugar, e a família, em segundo - mas não todas as vezes. Deixe aquele carrossel ir girando, a fim de que a família possa ficar em cima na próxima ocasião. Aprenda a permitir que haja uma rotação natural: a vocação, a esposa e os filhos, todos centralizados em derredor de Deus.
Então, você descobrirá que está experimentando uma vida feliz e bem equilibrada na família, e sua vocação terá equilíbrio. Isso não acontecerá, porém, sem esforço, lágrimas e dedicação da sua parte.

A HARMONIA
Quando você aprender a estabelecer a harmonia entre sua vocação e sua vida familiar, descobrirá que seu viver fica bem equilibrado. Sua vocação, sua esposa e seus filhos farão uma rotação natural, todos centralizados ao redor de Deus.
Os filhos verão que você está experimentando a vida cristã - em vez de dizer uma coisa e praticar outra. E, embora seja necessário dedicar-se muito para alcançar um modo de vida assim, você descobrira que seu viver se tornará belo à medida que aprender a manter o equilíbrio apropriado entre sua vida familiar e seu chamado divino ao ministério.

Próximo post:
CERCANDO O ADOLESCENTE DE FÉ E AMOR



x_3e1c66cc photo x_3e1c66cc_zps06a001ac.gif




domingo, 1 de setembro de 2013

O LAR CRISTÃO


Em muitos lares cristãos, o pai de família está fora de casa, cuidando do emprego ou empreendimento, e a mãe está ocupada com todas as reuniões de oração que ela frequenta, tentando ganhar o restante do mundo para o Senhor, mas os filhos estão sendo negligenciados e, com isso, sentem-se inseguros. Isso não é certo, conforme posso comprovar na Palavra de Deus.

Algumas mulheres argumentarão:
 "Mas, irmã Lucy, Deus me vocacionou para ministrar, e, logo que meu marido sai para o serviço e meus filhos vão para a escola, também preciso sair."

No entanto, o que acontece quando o marido retorna e a casa está uma desordem porque não houve quem
a limpasse? Havia três dias, a cama não era arrumada, porque a esposa não tinha tempo - ficara fora, pregando. Posso comprovar, pela Palavra de Deus, que a vocação mais sublime que a mulher tem é ficar em sua residência, cumprir as tarefas domésticas e cuidar daqueles filhos que o Senhor lhe deu. 
O primeiro ministério dela é com eles. Depois de ministrar no lar, ela poderá sair, caso lhe sobre tempo, a fim de fazer outra coisa para Deus. Mas lembre-se que, o cabeça do lar é o marido.
Por outro lado, os homens não devem sair de casa às seis horas da manhã e voltar somente às 23 horas, esperando que sua esposa e seus filhos o tratem muito bem, pois estão negligenciando seus deveres.

Não sou do movimento feminista, nem vou para além dos limites nos ensinamentos sobre a submissão.
Certo dia uma irmã me fez a seguinte pergunta:
Irmã Lucy, por que é tão difícil ser submissa?
A minha resposta para ela foi:
Obedeça a Palavra (Evangelho de Cristo) e verás que é muito fácil e simples respeitar o Espírito Santo em toda submissão e amor.

Quando assisto a um casamento fico a meditar:
A mulher não foi tirada nem dos pés do homem, para ser por ele pisoteada, nem da cabeça dele para dominá-lo. Ela foi extraída da sua costela, de perto do seu coração, para ficar lado a lado com ele, a fim de ajudá-lo em todas as áreas de sua vida, exercendo o papel de auxiliadora idônea e que,
 juntos, pudessem desfrutar do amor, da união e da harmonia. 
Ao compreenderem isso, as pessoas entendem o conceito bíblico do casamento.

Próximo post:
O Papel do Pai Cristão

x_3e1c66cc photo x_3e1c66cc_zps06a001ac.gif




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...